Regata de volta ao mundo em solitário tem partida marcada para novembro, na França

0
595

Os preparativos para o início do próximo Vendée Globe, regata de volta ao mundo em solitário sem assistência e sem paradas, estão avançando mesmo em meio ao contexto incerto em termos de saúde pública e economia. O Conselho da Vendéia e a organização da competição estão fazendo o máximo possível em conjunto com todos os parceiros, capitães da classe IMOCA, seus patrocinadores e autoridades públicas para garantir que as etapas para a 9ª edição do Vendée Globe ocorra sem problemas.

“Manter a data de início de 8 de novembro para a corrida é nosso objetivo e tudo está sendo feito para alcançá-lo. Em termos de corrida, nada impede a corrida a partir de 8 de novembro, desde que as autoridades nacionais permitam que isso aconteça. No entanto, para o Vendée Globe, que é um evento popular e pertence à população local, a presença do público é importante para nós” afirma a organização do evento, que está estudando todas as situações possíveis para poder receber o público em um evento como esse no contexto econômico e de saúde pública, cuja evolução é difícil de prever.

A decisão de manter a sede do evento em Les Sables d’Olonne durante toda a corrida ajudará a garantir que um número máximo de pessoas possa desfrutar plenamente da aventura no Vendée Globe.

LEIA TAMBÉM
>> NÁUTICA Live #2: quais os impactos do COVID-19 no setor de marinas e iates clubes?>> Posso ou não navegar? Autoridades apontam soluções durante NÁUTICA Live
>> Azimut Yachts apresenta versão 2020/2021 de iate de 83 pés

Ao mesmo tempo, os organizadores do Vendée Globe estão trabalhando em conjunto com a classe IMOCA com o objetivo de adaptar alguns dos prazos para os capitães, em particular a data final para as inscrições, que foram adiadas até 1º de setembro e a organização de uma corrida solo preparatória neste verão. A classe IMOCA vem trabalhando nas últimas semanas na organização de uma prova preparatória, que estava inicialmente prevista para junho. De acordo com o Departamento de Vendeia, o principal parceiro do evento, a classe IMOCA propôs uma corrida a partir de Les Sables d’Olonne em 4 de julho.

Esta será uma corrida individual, que levará os marinheiros para além da Islândia, o Círculo Polar Ártico e os Açores, com um retorno ao local de largada planejado dez dias depois. O formato da corrida foi completamente revisado pelos diretores de corrida e pela equipe organizadora, a fim de respeitar as regras de distanciamento relativas aos skippers e suas equipes.

Este passo vital na preparação para o Vendée Globe também se beneficia do apoio da Federação Francesa de Voile (Federação Francesa de Vela) e o pedido de licenças está em andamento.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Teste SecBoats CatFish 35