Conheça os vencedores da 46ª Semana Internacional de Vela de Ilhabela

0
804
Foto: Marcos Méndez

O Pajero, de Eduardo Souza Ramos, havia conquistado a Semana de Vela de Ilhabela de 2017. No ano seguinte, o grande campeão foi o gaúcho Crioula. Por conta da rivalidade estabelecida, este ano todas as atenções se concentravam nos dois velozes Soto 40 (ou simplesmente S40). Quem levaria a melhor neste verdadeiro tira-teima?

E o vencedor (na categoria ORC Geral) foi o Krishna Pajero, a nova máquina de competir de Eduardo Souza Ramos, que agora acumula nada menos que 12 títulos na Semana Internacional de Vela de  Ilhabela. Sabe como se diz 12 vezes campeão? Parece estranho, mas é dodecampeão!

Respondendo bem aos ajustes feitos pelo comandante e à estratégia de seu tático, André “Bochecha” Fonseca, o Krishna Pajero andou na frente na reta final, ganhando as duas regatas derradeiras, no sábado, 20 de julho. Com isso, em oito regatas na categoria ORC A, acumulou quatro vitórias, dois segundos lugares e um terceiro lugar.
“Foi uma competição incrível! Estou muito feliz por tudo e espero continuar competindo por muitos anos aqui na Semana de Vela. A sensação é ótima”, comemorou o comandante supercampeão.

Em segundo lugar, é claro, ficou o Crioula, do comandante Renato Plass, com o atleta olímpico Samuel Albrecht na equipe. Como era de se esperar, o barco (meio gaúcho, meio carioca) manteve-se na cola do líder durante toda a competição. “Tivemos uma briga muito bonita com o Pajero. No fim eles levaram a melhor e estão de parabéns”, disse Fabrício Streppel, um dos tripulantes do Crioula.

LEIA TAMBÉM
>>Estaleiro paulista inicia produção de iate de 100 pés assinado por designer italiano
>>Ventura Marine realiza mega promoção imperdível de aniversário
>>Estaleiro gaúcho participará pela primeira vez do São Paulo Boat Show

Todos os campeões de Ilhabela

Na RGS, classe mais numerosa na Semana de Vela, com uma flotilha de 25 barcos somadas as categorias A, B e C, a disputa também foi acirrada. No geral, o campeão foi o Zeus, de Paulo Fernando de Moura.
Na RGS B, vitória do BL3 Urca, de Clauberto Andrade. Já na RGS C, quem chegou na frente foi o Aquarius, de Fábio Kohler Harkot.

Na categoria ORC B, todas as honras para o +Bravíssimo, de Luciano Secchin, representante do Iate Clube do Espírito Santo.

Na IRC (geral, A e B), chegaram ao topo do pódio, respectivamente, o Rudá, de Guilherme Eduardo Hernandez; o Danadão, de Guilherme Frederico Gazineu Rafare; e o Asbar IV, de Jonas de Barros Penteado.

Entre os Clássicos, quem conquistou o título foi o Madrugada, do comandante Niels Rump, que liderou a disputa de ponta a ponta.

Na C-30, vitória do Caballo Loco, de Mauro Dottori, que travou uma disputa equilibrada com o Kaikias e o Katana.

Entre os HPE-25, o Ginga, de Breno Chvaicer, manteve a hegemonia, conquistando o seu sexto título na Semana de Vela de Ilhabela.

Entre os Multicascos, quem levou a melhor foi o Maré XX, de Benoit Joufflineau, seguido do Pick Nick, do vovô da vela Francisco Matos, de 93 anos de idade.

Na classe Bico de Proa A, o Bacanas IV, de Christian Lundgren, venceu todas as regatas da Semana de Vela e ficou, é claro, ficou com o título da competição.

Na Bico de Proa B, o campeão foi o H2Orça, de Hilpert Zamith. Já na Bico de Proa C, vitória do Newport, de Ruy Mendes Vita.

Na Mini Transat 6.50 — novidade da 46ª Semana de Vela de Ilhabela, com barcos de 21 pés — o título ficou com o Daddy-O, de José Carlos Rodrigues de Souza.
Não por acaso, Ilhabela é a Capital Nacional da Vela.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

 

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.