Vela Jovem

0
1504

O Comitê Olímpico Brasileiro (COB) segue trabalhando em ritmo forte no planejamento final da delegação brasileira que representará o país na segunda edição dos Jogos Olímpicos da Juventude. O evento, que reunirá os melhores atletas do mundo entre 15 e 18 anos, acontecerá na milenar cidade de Nanquim, na China, entre os dias 16 e 28 de agosto. E a nova geração do esporte brasileiro estará em peso no evento. Com um total de 98 atletas em 24 modalidades, a delegação brasileira será a segunda maior do evento, atrás apenas da China, o país anfitrião.

Nos Jogos Olímpicos da Juventude, cada país tem o direito a levar até 70 atletas em esportes individuais e mais uma equipe por gênero em modalidades coletivas. O Brasil conseguiu classificar a cota máxima individual estabelecida pelo COI e enviará ainda os times masculino e feminino de handebol. “Estamos muito satisfeitos com o número de atletas brasileiros que conquistaram classificação para esses Jogos Olímpicos da Juventude. Esse número demonstra a qualidade do trabalho de base realizado pelas Confederações Brasileiras Olímpicas, com o apoio do COB, e o compromisso de investir no desenvolvimento de todas as modalidades olímpicas. Temos uma geração promissora de atletas, com foco principal para os Jogos Olímpicos de 2020 e de 2024, e proporcionaremos a eles as melhores condições para que possam ter excelente desempenho em Nanquim”, destacou o diretor executivo de esportes do COB, Marcus Vinicius Freire.

A delegação brasileira em Nanquim terá a medalhista olímpica Adriana Behar como chefe de missão. Atual gerente de Planejamento Esportivo do COB, Adriana também foi a chefe da missão brasileira na primeira edição do evento, em Cingapura 2010. “É uma honra muito grande chefiar novamente a delegação brasileira nos Jogos Olímpicos da Juventude. É um evento único para carreira destes atletas e tenho certeza de que o Brasil será muito bem representado. O mais importante, porém, é que esta primeira experiência olímpica de suas vidas lhes traga muitos ensinamentos e os incentivem a prosseguir na carreira de atletas por muito tempo”, comentou a  ex-atleta de vôlei de praia Adriana Behar, medalha de prata nos Jogos Olímpicos Sydney 2000 e Atenas 2004 ao lado de Shelda.

Nos Jogos Olímpicos da Juventude Cingapura 2010, o Brasil foi representado por 81 atletas e conquistou sete medalhas, sendo três de ouro, três de prata e uma de bronze.

Os Jogos Olímpicos da Juventude seguem o programa esportivo dos Jogos Olímpicos tradicionais, mas também trazem novidades nas formas de disputa, como no basquete 3 x 3, uma das sensações do evento em 2010, nos revezamentos entre países, em equipes mistas de homens e mulheres, entre outras.

Além das 28 modalidades esportivas em disputa, os Jogos Olímpicos da Juventude apresentam um extenso programa cultural e educativo para transmitir, de forma lúdica, aos jovens atletas o Olimpismo e os valores olímpicos, além de sensibilização para questões importantes, tais como os benefícios de um estilo de vida saudável e a luta contra o doping.

Na vela, o Brasil irá competir em duas classes, Techno 293 / Windsurf e Byte CII. Confira os representantes brasileiros da vela:

Daniel Pereira – (Classe Techno 293 / Windsurf)
Pedro Marcondes Correa (Classe Byte CII)
Natascha dos Santos Böddener (Classe Byte CII)

Foto: YCSA/Divulgação

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Kapazi