Vaga olímpica

0
1182

A disputa pela vaga brasileira da classe 49er nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, encerrou seu primeiro capítulo no último domingo, dia 8. No Sul-Americano de 49er e 49erFX, em Buenos Aires, na Argentina, Marco Grael e Gabriel Borges terminaram na frente de Dante Bianchi e Thomas Lowbeer. Já garantidas na Olimpíada, Martine Grael e Kahena Kunze ficaram com a medalha de prata na 49erFX. As três duplas brasileiras agora se preparam para o Mundial, que será disputado a partir do dia 16, também na capital argentina.

Para definir os representantes na Rio 2016, a Confederação Brasileira de Vela (CBVela) adotou o critério de avaliação do desempenho nas principais competições nacionais e internacionais em 2013, 2014 e 2015. Por meio de análises dos resultados, o Conselho Técnico da Vela (CTV) define o representante.

No Sul-Americano, Marco e Gabriel terminaram em 12º lugar, enquanto Dante e Thomas ficaram em 15º. Caso Marco e Gabriel voltem a ficar na frente dos compatriotas também no Mundial, estarão garantidos nos Jogos Olímpicos. Outra possibilidade de classificação direta de uma das duplas é se uma delas se posicionar dentro do top 15 com o dobro mais um de posições à frente da outra no Mundial.

Caso Dante e Thomas superem Marco e Gabriel no Mundial ou nenhuma das duas duplas fique no top 15 com o dobro mais um de posições á frente da outra, a vaga olímpica será definida na III Copa Brasil de Vela, em Niterói (RJ), em dezembro.

Atualmente, a Equipe Brasileira de Vela conta com nove velejadores confirmados nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Robert Scheidt, na classe Laser; Fernanda Decnop, na Laser Radial; Fernanda Oliveira e Ana Luiza Barbachan, na 470 feminina; Martine e Kahena; Jorge Zarif, na Finn; Patricia Freitas, na RS:X feminina; e Ricardo Winicki, o Bimba, na RS:X masculina. Além da 49er, faltam definir os representantes na 470 masculina e Nacra 17.

Foto: Divulgação

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Teste Schaefer 770