Único barco do mundo equipado com motor Ferrari inicia restauração da motorização

0
570

O barco, chamado Arno XI, foi construído para quebrar recordes mundiais de velocidade e tem uma história sem precedentes, estabelecendo um recorde nunca quebrado de 240 km/h, em 1953, no Lago d’Iseo, na Itália. Em 1951, o primeiro proprietário do barco, Achille Castoldi, se tornou amigo dos pilotos da Ferrari na Fórmula 1 Alberto Ascari e Luigi Villoresi. Os dois pilotos famosos ajudaram Castoldi a conseguir o que se tornaria o único motor Ferrari já construído para uma embarcação. Enzo Ferrari concordou em se envolver pessoalmente no projeto, supervisionando cada etapa da construção e teste do motor. O chefe de Projeto de Motor da Ferrari, Aurelio Lampredi, e sua equipe de engenheiros se envolveram diretamente com o projeto.

“Esse é um dos mais importantes motores da história da Ferrari”, disse o chefe da Ferrari Classiche, Luigino “Gigi” Barp. A Ferrari Classiche é a divisão da Ferrari responsável pela restauração de Ferraris clássicas para suas condições originais. “Restauramos as Ferraris mais raras e valiosas já fabricadas, mas, obviamente, só trabalhamos em motores e carrocerias de carros. Restaurar esse motor Ferrari de 1952, especificamente construído à mão para essa montagem única, se tornou a emoção de toda uma vida para todos nós na sede da Ferrari”.

“Imagine ser um técnico de ponta na Ferrari e poder trabalhar exatamente nas mesmas peças que o próprio Enzo Ferrari ajudou a projetar e produzir”, disse o quarto e atual proprietário do barco Milton Verret, um empresário de Austin. Como colecionador de Ferraris únicas e raras, sei que não há nada que se compare a um barco de corridas equipado com um motor Ferrari utilizado em corridas de F1. Acrescente a isso o envolvimento pessoal de Enzo e você tem um motor funcional que a maioria dos entusiastas de esportes a motor morre de vontade de ter. É apenas único”.

O motor de 1952, que ainda equipa o Arno XI hoje, é um motor Ferrari de 4,5 litros, 12 cilindros, Tipo 375 (1952 está gravado no bloco do motor). Esse é o mesmo tipo de motor que equipou o carro Ferrari que ganhou o primeiro Campeonato Mundial de Fórmula 1, ao vencer o Grande Prêmio Britânico, realizado em Silverstone no ano anterior. O motor tem compressão de 12:1, com potência suficiente para impulsionar a hélice de pás gêmeas para até 10.000 rpms. O motor é equipado com um sistema de ignição por magneto duplo, com 24 velas de ignição, em vez das 12 habituais. Usar magnetos em vez de tampas do distribuidor garante que o motor continuará funcionando mesmo coberto com água.

LEIA TAMBÉM
>>MCP Yachts divulga novas imagens do seu projeto de veleiro em construção
>>Embarcação inflável promete aumentar a diversão na água
>>Superesportiva da Mercedes e Cigarette alia alto desempenho, requinte e tecnologia

O motor Ferrari produziu originalmente 350 bhp. Mas após a realização de testes iniciais e corridas no início de 1953 e apesar de o barco haver atingido velocidades bem acima de 160 km/h, Enzo Ferrari ordenou a modificação do motor para uso de metanol como combustível, a fim de aumentar as taxas de compressão. Ele adicionou dois compressores Roots (ou turbocompressores gêmeos) e um par de carburadores sólidos com quatro afogadores, com o resultado de que o motor finalmente produziu mais de 500 bhp. O barco tem uma história cheia de quebras de recordes mundiais de velocidade devido a esse motor Ferrari.

“Quando minha equipe na Ferrari terminar seu trabalho no motor, ele vai funcionar da mesma maneira que fez quando Castoldi e nosso fundador, Enzo Ferrari, o ligaram pela primeira vez em 1952″, disse Barp. “Eu quis me certificar de que o barco estava em perfeitas condições a tempo para seu 70º aniversário”, disse Verret. “Tudo se resume em preservar a história da Ferrari. Esse tipo de raridade faz com que certas Ferraris sejam avaliadas em dezenas de milhões de dólares. Ter um barco que é ‘o único’ não tem preço”.

Desde 2012, o Arno XI está emprestado por Verret aos dois mundialmente famosos museus da Ferrari na Itália. A embarcação já foi vista por centenas de milhares de visitantes. O barco foi exibido lado a lado com a Ferrari ganhadora da F1 em 1951, mostrando do domínio da Ferrari na terra e na água.

Barp acrescentou: “Esse é um capítulo contínuo na história da Ferrari. Nossos motores são realmente feitos para funcionar para sempre e, após quase 70 anos, é uma honra ter esse projeto único, construído à mão, sob encomenda, na oficina da Ferrari Classiche. Verret o confiou a nós e estamos fazendo o mesmo para os entusiastas da Ferrari em todo o mundo”.

A Ferrari Classiche espera concluir o trabalho no barco Ferrari no início do outono, quando Verret pretende iniciar uma turnê mundial para mostrar o barco aos fãs da Ferrari em todos os lugares.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones