Triton Yachts dá 7 dicas para ajudar na escolha do primeiro barco. Confira

0
520
Foto: Divulgação

Com diversos modelos e tamanhos disponíveis no mercado, além de preços variados, o barco está ganhando mais espaço no Brasil. Em tempos de pandemia, é considerado um lazer seguro e privativo. Atualmente, segundo dados da Acobar (Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e Seus Implementos), o país conta com uma frota em torno de 700 mil barcos. Clima apropriado para navegação, mais de 8,5 mil km de costa e 60 mil km de vias navegáveis interiores, como lagos e rios, além do crescimento da infraestrutura de marinas e iates clubes contribuem para o desenvolvimento náutico.

Mas, na hora de escolher o primeiro barco é que aparecem as dúvidas. Qual é o melhor modelo e o que precisa ser levado em consideração para não errar na compra? Allan Cechelero, diretor da Triton Yachts, fabricante brasileira com mais de 20 anos de experiência no ramo náutico, explica que não existe regra específica para adquirir o primeiro barco, mas é preciso avaliar cada perfil e objetivos do cliente.

Confira 7 dicas para escolher o primeiro barco, conforme orientações do fabricante nacional Triton Yachts:

1. Analise o fabricante, mão de obra especializada e assistência técnica

Antes de escolher o modelo de barco é importante decidir por um estaleiro com tradição, estrutura e experiência no mercado. Isso garante mais segurança e suporte ao comprador, além da qualidade e garantia técnica do produto. Afinal, a mão de obra da náutica é muito específica.

2. Identifique o perfil de navegador – esportes, passeios rápidos ou pernoite

“É importante identificar qual é o sonho do futuro navegador, se ele deseja ter um barco para a prática de esportes náuticos, para passear com amigos, estar com a família ou pernoitar. Tudo isso influenciará na hora de decidir o modelo. A Triton, por exemplo, tem modelos variados para diversos perfis, desde pequenas embarcações de 23 pés até iates de 52 pés, e conta com uma equipe especializada para dar todo o suporte e consultoria necessária durante este processo”, diz Cechelero.

3. Analise a depreciação do barco

A avaliação da marca no mercado é um ponto a ser reforçado. Possivelmente, após o primeiro barco, a pessoa futuramente fará um upgrade para um segundo. Portanto, o produto precisa ter boa avaliação e aceitação.

LEIA TAMBÉM
>> Teste Intermarine 62: navegamos em uma das lanchas mais desejadas do Brasil
>> 11 barcos-conceito fantásticos que podem ir para as águas nos próximos anos
>> Navegador argentino cruza o Atlântico para ver seus pais em meio à pandemia

4. Leve em conta a navegação e o conforto

Assim como um carro, para quem vai comprar o primeiro barco, a dica é obter as orientações detalhadas com o revendedor ou profissionais do mercado, consultar informações em canais especializados e até pessoas que já possuem embarcações. Se possível, também navegar em um barco.

“A navegação é um conjunto que compreende o processo construtivo do barco, sua laminação, combinada com a tecnologia e motorização empregada. Das embarcações Triton, os modelos Triton 250, Triton 275 e Triton 300 são ótimas opções para o primeiro barco, porque combinam conforto, design, desempenho e economia”, indica o fabricante.

5. Proa aberta ou fechada

O layout da proa é um fator a ser considerado na hora da compra e a opção vai variar dependendo do gosto, das necessidades e do perfil do comprador. Nesse caso, a parte frontal do barco pode ter uma área de convivência aberta com sofás ou pode ser fechada, com uma pequena cabine.

Um dos diferenciais das lanchas da marca Triton é que mesmo as embarcações menores com proa aberta já contam com banheiro, grande comodidade durante os passeios.

6. Tipo de motor

Para o fabricante Triton Yachts, o motor centro-rabeta, que fica na área central do barco em uma casa de máquinas protegida, é o mais indicado para o comprador de primeira viagem, especialmente para quem busca por embarcações para descanso, lazer e passeios em família ou com amigos. A razão é que esse tipo de motor permite aproveitar mais a estrutura externa da lancha, incorporando uma plataforma de popa (parte traseira do barco) para banhos de mar e de sol, além de espaço gourmet para churrascos. Também tem a questão do conforto acústico, que significa menos barulho. Além disso, as novas tecnologias são bastante seguras e de fácil manutenção.

7. Opções de personalização

O barco é um sonho. Portanto, é importante que o fabricante dê a abertura para personalizar o modelo escolhido conforme o desejo do proprietário. A Triton Yachts, por exemplo, conta com um departamento para personalização desde a pintura até detalhes de estofamentos, mobiliário, acessórios, decoração e por vezes até no projeto. Todo o processo é feito com acompanhamento e auxílio de especialistas na área náutica.

“Acima de tudo, a experiência da navegação é algo maravilhoso e esperamos que cada vez mais pessoas ingressem no mercado náutico. Além disso, em um momento desafiador como o atual, o barco é um lugar seguro para se estar com a família e também uma opção diferenciada de lazer já que nos leva a lugares belíssimos”, conclui o diretor da Triton Yachts.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Teste Schaefer 770