Três grandes nomes da arquitetura náutica se unem para projetar megaiate de 77 metros

0
356
black shark

O megaiate de 77 metros, batizado de Black Shark, está cada vez mais próximo de ser apresentado ao público pelo estúdio Sinot — Architecture & Design. “Ter que criar a partir de um tema traz uma conexão com o interior, como se fosse um livro”, comenta Sinot sobre o Black Shark.

black shark

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

A colaboração entre Sinot, Winch e Nobiskrug se desdobrou para atender um pedido do proprietário: transformar o tema “tubarão” em um megaiate. “É uma questão de como você consegue interpretar as coisas, não importa o quão literalmente. Acho que é esse o truque”, diz Sinot.

Apesar de o projeto ser algo incomum, Sinot garantiu que a tradução do tema não fosse contra a natureza de seus princípios de design. “Um design não deve existir apenas porque foi concebido. Deve ser uma manifestação de algo para um propósito, estética e função”, completa o designer.

“Um iate não é apenas um objeto de riqueza: é algo que você pode usar para se mover pelo mundo e ver coisas que outras pessoas não podem. Os superiates fazem você se sentir bem, e os interiores são o que faz com que os proprietários desejem receber as pessoas a bordo e desfrutar juntos do ambiente. Deve parecer um lugar seguro para se estar”.

Quando questionados sobre as nuances do design, os profissionais responsáveis pelo projeto explicaram que “o cliente é enérgico, muito interessante e envolvido. Ele gostou do fato de podermos usar várias tecnologias novas em nosso design, como impressão e digitalização 3D”.

black shark

“Ficou muito claro desde o início que ele queria criar algo único que correspondesse ao tema, mas ainda garantir que os espaços fossem aconchegantes, confortáveis ​​e convidativos. Devido a essa direção clara, pudemos começar a criar os interiores em 3D desde o primeiro dia”, completam.

Em alguns dos espaços o teto foi inteiro pintado de preto, o que representa uma decoração bastante ousada. A promessa dos colaboradores é de que, quando o cliente ampliar os detalhes, tudo se relacione com o tema “preto” ou “tubarão”, juntos ou separadamente, e de uma forma subliminar.

Leia também

» Estúdio italiano projeta megaiate de 135 metros que une modernidade e conforto

» Grupo europeu Overmarine apresenta segundo modelo da nova série Mangusta Maxi Open REV

» Barcos elétricos podem ser solução de navegação em Veneza 

black shark

Ainda assim, apesar de seguir todo um tema durante a construção, o intuito nunca foi construir um parque temático dentro da embarcação. Detalhes como barbatanas ou quaisquer outras traduções literais foram estritamente excluídos. Em vez disso, a alternativa foi adicionar dentes ocultos no interior, que não são diretamente perceptíveis, mas que aumentam a tensão interna.

“Não sabíamos como era a aparência da pele de tubarão até usarmos um microscópio e podermos estudar seu padrão. Sua pele é feita para reduzir o arrasto na água com uma textura semelhante à de uma bola de golfe — traduzimos isso para uma impressão 3D e cobrimos paredes inteiras com esse padrão. O resultado é uma textura tátil muito interessante na parede. “, explicam os profissionais.

black shark

Eles também disseram que o intuito era contar uma história em todo o interior, com uma distinção clara entre os 5 conveses. Tudo para passar a percepção de que, de acordo com a posição dentro do megaiate, seja possível se ver abaixo da água, na superfície da água ou acima da água.

Por Naíza Ximenes, sob supervisão da jornalista Maristella Pereira.

Não perca nada! Clique aqui para receber notícias do mundo náutico no seu WhatsApp.

Sedna