Tradicional Regata Batalha Naval do Riachuelo acontece neste fim de semana no Recife

0
841
Foto: Divulgação

A tradicional Regata Batalha Naval do Riachuelo, promovido pelo Cabanga e a Marinha do Brasil, inicia neste final de semana com as regatas para os barcos de Monotipo. No sábado (1º), às 13h30, a classe Day Sailer abre a competição, em Maria Farinha. Já no domingo (2), Dingue e Laser também serão em Maria Farinha, às 13h30, e Snipe, às 13h, no Recife.

Na próxima semana, a Regata Batalha Naval do Riachuelo será encerrada com a disputa de mais duas classes. No sábado, dia 8 de junho, às 10h, a flotilha de Optimist vai para a água na Bacia do Pina. No dia seguinte, a última prova será para as embarcações da classe de Oceano.

A cerimônia de premiação será realizada no dia 9 de junho, a partir das 14h, na sede Recife do Cabanga. Nas classes com mais de quatro inscritos, serão contemplados os 1º e 2º lugares. Já as com mais de cinco inscritos, serão premiados os 1º, 2º e 3º lugares.

LEIA TAMBÉM
>>Primeiro catamarã da Amasea Yachts traz salão de 63 m² no convés principal
>>São Paulo Boat Show contará com participação da NHD Boats
>>Associação de marinas australianas proíbe plástico de uso único nas marinas até 2025

A regata comemora uma importante data para a Marinha do Brasil, que neste ano chega ao 154º aniversário da Batalha Naval do Riachuelo – um dos maiores triunfos da história militar do País. O conflito, ocorrido entre os anos de 1864 e 1870, foi considerado de suma importância para a vitória da Tríplice Aliança (Brasil, Uruguai e Argentina) frente às forças paraguaias.

Notáveis e corajosos brasileiros, sob comando do Almirante Francisco Manoel Barroso da Silva, enriqueceram de brio e orgulho a história de nosso País, superando dificuldades e arriscando a própria vida.

Era 11 de junho de 1865, Domingo da Santíssima Trindade, durante a guerra do Paraguai. O dia sereno, iluminado por um sol brilhante com um céu sem nuvens. Nossos marinheiros se preparavam para o ato religioso que culminaria com uma missa a bordo da fragata Amazonas, no rio Riachuelo. Mas, a tranquilidade foi rompida pelo aviso de “Inimigo à vista”. De imediato, foi tocado postos de combate para todos guarnecerem suas posições de batalha. Às oito horas e trinta minutos, por detrás de um vasto arvoredo, começaram a surgir os vapores inimigos.

Travou-se, então, o combate decisivo que ficaria conhecido como a Batalha Naval do Riachuelo, no qual os Brasileiros combateram e venceram os seus inimigos, incentivados por nova ordem do Almirante Barroso: “Sustentar o fogo que a vitória é nossa” e “Sustentar o fogo que a vitória é nossa”.

Esta é uma homenagem ao Almirante Barroso – Herói da Pátria, bem como àqueles que perderam suas vidas na defesa de nosso território, a exemplo do Guarda-Marinha Greenhalgh e do Marinheiro Marcílio Dias.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones