Regata de volta ao mundo confirma parada no Brasil e poderá ter barco brasileiro na disputa

0
819
Foto: Marcos Porto

A organização da The Ocean Race anunciou oficialmente, nesta quarta-feira (16), o retorno a Itajaí na próxima edição, que começa no segundo semestre de 2021 em Alicante, na Espanha. Será a quarta vez consecutiva que a regata volta ao mundo passa por Itajaí, única parada da competição considerada a “Fórmula Um dos Mares” na América Latina.

O retorno poderá ter um atrativo a mais para o público brasileiro: o velejador Torben Grael, uma das lendas da vela mundial, cinco vezes medalhista olímpico pelo Brasil e comandante do barco Ericsson 4, que venceu a volta ao mundo na edição 2008-2009, quer viabilizar uma equipe ou um barco do Brasil na próxima edição. É uma maneira de potencializar o interesse na parada brasileira, que na última edição mobilizou um público de 440 mil pessoas em Itajaí. “Com uma possível entrada brasileira na próxima regata, esse interesse pode crescer ainda mais”, diz Grael.

Na última edição o Brasil foi representado pela também campeã olímpica Martine Grael, filha de Torben, que velejou junto à equipe do barco holandês Akzo Nobel. “É fantástico voltar a Itajaí após três paradas bem-sucedidas nas edições anteriores. Em 2018, ver a resposta da torcida local à velejadora Martine Grael foi um lembrete poderoso do que esse esporte significa para nossos fãs no Brasil”, disse o presidente da The Ocean Race, Richard Brisius.

Em Itajaí, o anúncio oficial foi feito pela prefeitura e o Governo do Estado, que custearão, juntos, os royalties do evento. A confirmação veio após mais de um ano de negociação, em que a cidade concorreu com São Sebastião (SP) e Salvador (BA). Nesta quarta-feira, o valor oferecido por Santa Catarina foi divulgado: 1,5 milhão de euros, o equivalente a cerca de R$ 7 milhões, em cotação atual. A oferta oferecida pela cidade paulista, principal concorrente de São Paulo foi de 2,5 milhões de euros.

Pesou a favor de Itajaí o know how conquistado em três edições da regata, em que a cidade abraçou o evento e fez o turismo náutico crescer junto com ele. Infraestrutura, segurança e a logística portuária, para o transporte da estrutura da festa, são itens levados em conta pela organização para a escolha das cidades-sede.

Desta vez, a Santur vai atuar junto com o município em todas as etapas do evento – inclusive na divulgação internacional. Foi uma das contrapartidas exigidas pelo Estado, que vai pagar 1 milhão de euros pelos direitos de realização – os outros 500 mil serão custeados pela prefeitura. A marca da parada, desta vez, também levará o nome de Santa Catarina: será Santa Catarina Itajaí Stopover.

Flavia Didomenico, presidente da Santur, disse que o governo tem intenção de “apropriar-se” do evento, para que ele tenha dimensão estadual. O prefeito Volnei Morastoni (MDB) afirma que a parceria será importante na busca por apoio do governo federal, e um reforço para angariar patrocínio junto à iniciativa privada.“(O evento) consolida Itajaí como Polo Náutico do Brasil, fortalecendo a economia do mar e o turismo de toda região. Além disso, leva o nome de Santa Catarina e do Brasil para o pódio mundial”, afirmou.

A última passagem da Volvo Ocean Race por Itajaí movimentou R$ 83 milhões, valor que inclui desde a mobilização portuária e nos aeroportos do Estado, até a alimentação. Do total, 76% ficou na região de Itajaí.O Estado, que investiu R$ 4,7 milhões na edição passada, teve quase R$ 6 milhões de retorno de ICMS.

A The Ocean Race é considerada uma das mais extremas provas da vela, e reúne alguns dos melhores velejadores do mundo. A regata, que chegará à 14ª edição, terá pela primeira vez duas classes de veleiros competindo. Além dos barco VO65, já conhecidos em Itajaí, disputarão a volta ao mundo barcos da classe Imoca 60, que são menores e têm maior rendimento.

A data exata da passagem por Itajaí só será conhecida após o anúncio de todas as nove paradas – mas a previsão é para o primeiro semestre de 2022. Até agora, além de Itajaí, foram confirmadas Alicante, na Espanha, Aarhus, na Dinamarca, Haia, na Holanda, /Ilha de São Vicente, em Cabo Verde, e Gênova, na Itália, que receberá a grande final.

​Passagens da Volta ao Mundo pelo Brasil:

1973-74 – Rio de Janeiro

1977-78 – Rio de Janeiro

1997-98 – São Sebastião

2001-02 – Rio de Janeiro

2005-06 – Rio de Janeiro

2008-09 – Rio de Janeiro

2011-12 – Itajaí

2014-15 – Itajaí

2017-18 – Itajaí

2021-22 – Itajaí

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.