V300 Crossover: testamos a lancha de proa aberta com cabine da Ventura

0
2372

O estaleiro mineiro Ventura Marine (um dos mais tradicionais do país, com mais de 16 mil lanchas na água) formulou uma receita deliciosa para quem deseja fazer pequenos cruzeiros com a família a bordo de uma lancha de 30 pés, com muito espaço no cockpit, mas sem abrir mão de uma cabine para pernoite de um casal.

Pega-se a boa cabine da Ventura 300 Day Cruiser, retira-se a cama de proa e acrescenta-se um cockpit na frente do barco, ampliando-se assim a área útil do barco. Pronto! Eis a nova e bem-vinda Ventura 300 Crossover, uma lancha para cruzeiros curtos, mas que também vai muito bem em passeios um pouco mais longos, graças ao conforto de uma cabine com uma cama de casal à meia-nau e banheiro.

De resto, com exceção de um detalhe ou outro (a versão Crossover não tem o convés lateral na popa, por exemplo; em compensação, acomoda cinco pessoas a mais) é praticamente mesma V300 Day Cruiser já testada por NÁUTICA e cujo conjunto casco-motor V8 de centro-rabeta com hélices contrarrotantes se revelou muito bem equilibrado. Se bem que, por não ter camarote de proa — o que joga o centro de gravidade mais para baixo — a versão Crossover ganhou ainda mais pontos no quesito estabilidade.

Como ela é

Com acomodações, conforto e espaço para toda a família (pode levar até 16 pessoas a bordo em passeios diurnos), a Ventura 300 Crossover é lancha de 30 pés com proa aberta e, ao mesmo tempo, uma cabine, com uma cama de casal à meia-nau e banheiro. O aproveitamento do espaço externo, sem abrir mão totalmente da cabine, é o seu grande diferencial. Seu cockpit divide-se em três ambientes. O primeiro, na proa, onde há dois sofás posicionados no sentido horizontal e uma mesa de centro. O segundo, ao lado do piloto, tem uma espreguiçadeira. O terceiro, na popa, com pia, geleira, lixeira e churrasqueira.

O espaço extra na proa é bem agradável. Nele, além do jogo de sofás, por sinal bem confortável, e da mesa de centro, que pode ser removível, há caixa de som, porta-copos, pegadores e superfície para as pessoas se apoiarem. Com isso, é possível permanecer ali mesmo com o barco navegando, desde que em velocidade reduzida, naturalmente. É um espaço habitável e seguro. O guincho é opcional, mas muito recomendável nesse tipo de barco. Com ele, é possível manusear a âncora diretamente do posto de comando. O para-brisa fecha parcialmente, para que o vento não incomode que estiver nas partes central e traseira do cockpit. E o acesso à proa é feito pela passagem lateral do barco, que é bem larga.

Por sua vez, o posto de comando tem espaço para um eletrônico de 9 polegadas. Está bem posicionado, assim como a bússola, centralizada em relação ao piloto, que também tem boa visão dos relógios do motor. Os interruptores ficam ao alcance das mãos. O porta-copo, idem. O banco tem encosto rebatível, o que é muito bom na hora de encarar o mar em uma viagem mais longa. E não faltam aqueles toques de praticidade, como lugar para guardar o celular, carteira e pequenos objetos, além de tomada usb e um ótimo apoio para os pés, revestido de eva. O único senão aqui fica por conta da parte branca do painel, que causa um reflexo. Seria muito melhor se o painel ficasse totalmente no tom escuro.

Um dos pontos fortes desse projeto da Ventura Marine é o aproveitamento de espaços no cockpit. Além da área extra na proa, há muitos bancos, todos servidos por porta-copos, para que ninguém derrame vinho nos estofados. Ainda assim, a área para circulação é muito boa. A targa tem 1,93 m de altura. A capota é opcional, mas todo mundo deve pedir, por que é imprescindível para os dias de sol ou de chuva.

Já na popa, o espaço gourmet — que se tornou obrigatório em qualquer lancha de lazer fabricada no Brasil e, por imitação, em muitos barcos lá de fora — tem uma minicozinha, com pia, porta-copos, caixa térmica e lixeira. A churrasqueira é opcional, mas o estaleiro reserva um lugar de honra no móvel para recebê-la. A plataforma de popa também chama a atenção, com mais um metro de comprimento e uma prática escada de quatro degraus.

Na cabine, com 1,86 m de altura, a cama de casal mede 1,57 m x 2,00 m, o equivalente a uma similar doméstica. O acesso a ela é fácil, mas não dá praticamente nem para sentar, uma vez que quase não há pé-direito — nada a estranhar em um camarote de meia-nau. Há também uma bancada com pia e espaço para uma geladeira elétrica (item opcional).

As janelas laterais favorecem a iluminação natural. Porém, para a ventilação, seria melhor se houvesse mais duas vigias, uma em cada bordo. A cama serve tanto para o pernoite de um casal quanto para os cochilos das crianças durante os passeios. No banheiro, um chuveiro de mão é compartilhado com a pia. Tem uma luminária, uma vigia para ventilação natural, porta-toalha, lixeira e vaso sanitário.

O fato de não ter camarote de proa joga o centro de gravidade mais para baixo, favorecendo a navegação. Com isso, esta versão ganhou pontos na estabilidade em relação à V300 DayCruiser, como se verá a seguir.

Como navega

A Ventura 300 Crossover foi testada no Guarujá, no litoral de São Paulo, em um dia de mar calmo e sem vento. A bordo, havia cinco pessoas, 100 litros de combustível e mais da metade da capacidade do tanque de combustível, que é de 270 litros. Equipada com um motor de um centro-rabeta Volvo Penta V8 a gasolina de 350 hp, com hélices contrarrotantes, propulsão mais eficiente, essa 30 pés navegou com agilidade e maciez, mesmo em manobras mais bruscas.

Na prova de aceleração de zero a 20 nós, referência para avaliar a rapidez com que chega ao regime de planeio, não deixou nada a desejar, com 7,6 segundos, uma boa performance para uma lancha desse porte com motor de centro-rabeta. A velocidade final chegou a 37,9 nós, outra boa marca para uma lancha cujo propósito são os passeios em família.

Na velocidade de cruzeiro, que foi de 23,5 nós, a V300 Crossover consumiu 49 litros de combustível por hora. Com o tanque de 270 litros cheio, é possível ir do Guarujá até Ilhabela (ou do Rio de Janeiro para Angra dos Reis), com uma boa folga de combustível no tanque. A autonomia em cruzeiro é de 117 milhas, considerando-se 90% da capacidade do tanque. Para quem costuma fazer grandes travessias, em locais sem muitas alternativas de abastecimento, seria recomendável um tanque maior. Mas para o uso normal, com abastecimento por perto, não há problema.

Na velocidade de cruzeiro, que foi de 23,5 nós, a V300 Crossover consumiu 49 litros de gasolina por hora

A direção, hidráulica, é neutra, ou seja, não puxa para nenhum dos bordos. Isso é bom também nas manobras de atracação. Não há a tendência de a popa puxar para um bordo quando a gente dá marcha à ré.

O espaço para manutenção na casa de máquinas é excelente, com bom acesso à bomba d’água e às varetas de medição do nível do óleo do motor e do líquido do sistema de arrefecimento. Falta uma cinta para fixar melhor o jogo de baterias. A mangueira de drenagem também mereceria uma fixação melhor, para não ficar “trabalhando” durante a navegação e, consequentemente, forçando as conexões.

Na sala de máquinas, há muito espaço para equipamentos. Um pequeno gerador, de 5 kVA, pode ser colocado sobre o tanque de água ou num dos bordos, deslocando as baterias para o outro bordo. Isso permitiria a instalação de alguns equipamentos, como um aquecedor de água, por exemplo.

Em resumo: uma lancha sem ser sofisticada no acabamento, mas com preço convidativo para a categoria e bem adequada para passear com a família em cruzeiros diurnos e um ou outro pernoite. Veja abaixo o resumo do desempenho.

 

Características técnicas

Modelo: 2019
Fabricante: Ventura Marine
Comprimento total: 9,25 metros
Comprimento do casco: 8,26 metros
Boca: 2,83 metros
Calado com propulsão: 1,00 metro
Borda-livre na proa: 1,22 metro
Borda-livre na popa: 1,22 metro
Altura da cabine na entrada: 1,86 metro
Altura do banheiro: 1,78 metro
Ângulo do V na popa: 18 graus
Combustível: 270 litros
Água: 100 litros
Capacidade dia: 16 pessoas
Capacidade pernoite: 2 pessoas
Peso com motor: 3 000 kg
Motorização: centro-rabeta
Potência sugerida: Diesel (1 x 270 a 320 hp), Gasolina (1 x 300 a 380 hp)

Quanto custa

A Ventura V300 Crossover é oferecida a partir de R$ 316.900,00, equipada com um motor de centro-rabeta Volvo Penta V8 a gasolina de 350 hp. Já quando equipada com um motor de centro-rabeta Volvo D4 300 a diesel, o preço sobe para a partir de R$ 418.900,00.

A montagem básica oferecida pela Ventura Marine contempla duas bombas de porão, duas bateria, sistema de direção, comando mecânico, luzes de navegação, luzes de cabine e cortesia, chave geral, painel elétrico, sistema de pressurização de água doce e vaso sanitário manual.

O pacote de opcionais oferecido pelo estaleiro, como capota, gps, vhf, som, churrasqueira, piso de eva, guincho elétrico, salvatagem e carreta de encalhe, custa cerca de R$ 44.500,00. Preços pesquisados em outubro/2019.

Veja mais fotos da Ventura V300 Crossover

Quem faz

A Ventura V300 Crossover é fabricada em Minas Gerais, pela Ventura Marine, um dos maiores estaleiros brasileiros, com mais de 16 mil lanchas produzidas desde 1983 e que atualmente oferece 16 modelos de lanchas, de 18 a 45 pés. Mais informações no www.ventura.com.br , pelo e-mail comercial@venturamarine.com.br ou pelo telefone  11/5531-6642.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones