Teste Azimut 27 Metri: um dos maiores e mais modernos iates feitos no Brasil

0
581

Feito para mexer com o imaginário de qualquer pessoa que ama barcos, o Azimut 27 Metri é um daqueles iates que nós, brasileiros, até pouco tempo atrás só podíamos ver em filmes. Felizmente, há 11 anos, a Azimut Yachts instalou uma fábrica na cidade de Itajaí, em Santa Catarina.

Com ela, os brasileiros passaram a ter acesso a uma grande variedade de embarcações feitas, digamos, para paladares mais apurados — e que até então só desembarcavam no país com o pagamento de taxas de importação.

Como os iates da linha Grande Collection da empresa, da qual esta Azimut 27 Metri faz parte, e que conta ainda com um modelo de 98 pés (a Azimut 30 Metri) e outro de 115 pés (a Azimut 35 Metri). “Construir iates dessas dimensões no Brasil demonstra o grande potencial do mercado brasileiro”, diz o diretor comercial da Azimut Yachts, Francesco Caputo, explicando a decisão do estaleiro de construir no país alguns de seus barcos maiores e mais tecnológicos. “Mostra ainda que o cliente brasileiro está cada vez mais seleto e busca por produtos exclusivos, cada vez maiores e com tecnologia de ponta.”

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações.

Repleta de inovações e boas soluções, a Azimut 27 Metri tem a receita que o brasileiro ama: a combinação de cômodos espaçosos, bem iluminados e, por isso, confortáveis nas instalações interiores com ambientes para o lazer e banhos de sol, como um autêntico lounge na proa, jacuzzi e bar ao ar livre no flybridge, beach club e espaço gourmet na popa.

São nada menos que cinco suítes, sendo que a maior fica na proa do convés principal, uma bem-vinda novidade, além do grande salão, que chama atenção pelas grandes janelas de vidro que ocupam quase todo o pé-direito. Ao todo, o barco tem incríveis 350 m² de área, apenas para sentar, relaxar e contemplar o mar — e uma série de confortos, além da segurança de um ótimo casco, para travessias mares afora.

Com a 27 Metri, a Azimut Yachts complementa uma série que inclui outros dois iates, de 30 e 35 metros, chamada Grande Collection, que tem como novidade a suíte máster na proa do convés principal — versão para dez passageiros em pernoite, mais quatro tripulantes — e muitos outros atributos.

Não é apenas no tamanho e nas áreas internas espaçosas que a 27 Metri se destaca como um grande barco. O iate de entrada da Azimut também esbanja estilo e elegância. Os projetistas capricharam na receita na hora de preencher os ambientes, a começar pela localização da suíte máster, na proa do convés principal. Tudo é muito bonito e moderno neste barco, para dez passageiros em pernoite, mais quatro tripulantes.

Mais inovador iate da Azimut, o 27 Metri tem a receita que os brasileiros amam: a união de ambientes internos espaçosos com muitas possibilidades de lazer ao ar livre

A área da praça de popa tem um sofá em U gigantesco e uma mesa (removível) para até dez pessoas. O interessante é que a área de serviço pode ser alcançada diretamente pelo lado externo do barco; ou seja, a tripulação não precisa atravessar o espaço social dentro do salão para ter acesso à cozinha e aos armários reservados a pratos, copos, xícaras e talheres.

Por falar na espaçosa cozinha, o fogão de indução, de quatro bocas, faz par com a coifa, responsável por eliminar ou minimizar os odores da preparação da comida, que pode ficar em excesso no ambiente, entre outras funções. O freezer, de duas portas, tem uma geladeira grande ao lado, conjunto suficiente para atender dez pessoas que podem dormir a bordo da Azimut 27 Metri, além dos quatro tripulantes.

A escada de acesso à parte mais alta do iate é grande, com degraus generosos, e tem excelentes apoios. No flybridge, com piso de teca, há uma área ocupada por sofás, na parte a ré, que é muito gostosa. Por sua vez, a capota rígida é bem grande e oferece um também enorme teto solar, de acionamento elétrico. O comando fica a boreste.

Ao seu lado, a bombordo, a 27 Metri vem equipada com um prático bar, com churrasqueira, além de pia, geladeira e área de apoio. A chaise longue que equipa o flybridge desta primeira unidade foi uma opção do proprietário, garantindo um toque extra de conforto e elegância, assim como a banheira de hidromassagem.

Uma das surpresas fica por conta da superestrutura de fibra de carbono, que contempla todo o casario acima do convés principal. O uso desse material nobre na construção resultou em uma série de confortos a bordo, como a instalação de grandes janelas de vidro, sem aumentar o peso, além de melhorar a estabilidade.

O iate Azimut 27 Metri oferece pernoite para até dez passageiros e quatro tripulantes e traz uma novidade entre os iates da categoria: a suíte máster fica isolada na proa do convés principal

O acesso à proa é digno de um barco de mais de 87 pés. Na passagem lateral, bem larga, chama atenção a área envidraçada do salão, tanto pelo formato quanto pelo tamanho, do piso ao teto. A proa é um verdadeiro lounge a céu aberto (pode ser protegido por uma capota, de acionamento elétrico) e um real diferencial deste modelo, mesmo em relação às suas irmãs maiores da linha Grande.

Tem um sofá em U, uma mesa, porta-copos, paióis laterais, sistema de som e um solário que parece uma cama king size. O piso é de teca, madeira que não apodrece e quanto mais molha, mais dura. A área operacional, na ponta da proa, que é sextavada, conta com dois guinchos elétricos (que servem a duas âncoras), o que facilita a operação de ancoragem. E tanto os cunhos de amarração quanto os passadores de cabo estão bem dimensionados.

O salão tem cadeiras, poltronas e sofás para dez pessoas, sem nenhum tipo de aperto para a circulação. A tv, com tela retrátil, fica estrategicamente recolhida em um nicho no teto. Na decoração, todos os elementos “conversam” entre si, criando harmonia entre os ambientes.

A escada de acesso à cabine no convés inferior mistura conforto e refinamento, e assim como a de acesso ao fly, é larga e segura. Neste convés há quatro suítes, sendo duas gêmeas mais a ré, na meia nau, e duas um pouco menores mais a vante (destas, uma com duas camas de solteiro), todas elas refinadas e com o conforto que se espera de um autêntico iate.

As janelas, com ventilação, ficam próximas à linha d’água, para que, mesmo na cabine, não se perca o contato com o mar. O detalhe é que as janelas dos camarotes de meia nau equivalem às de uma suíte máster de barcos um pouco menores.

A decoração tem peças e mobiliário exclusivos italianos e traz uma linguagem inspirada no conforto e funcionalidade para residências de alto luxo, assinada pelo arquiteto Achille Salvagni, um dos mais requisitados do mundo. Para quem preferir, o estaleiro oferece uma versão da 27 Metri com três suítes no convés inferior, além da principal, do proprietário, que fica na proa do convés principal e (sonho de muita gente) tem um bom closet.

De volta ao modelo avaliado, em outro espaço, a tripulação tem à disposição dois camarotes, sendo um com cama de casal, um banheiro com box, sala com mesa e tv e uma lavanderia. A casa de máquinas, com acesso 360 graus aos dois motores, oferece altura suficiente para uma pessoa de estatura mediana ficar em pé. O modelo avaliado ainda estava equipado com dois geradores de 29 Kw, sistema de estabilização e conversão de energia e dessalinizadores que produzem até 180 litros de água por hora.

A Azimut Yachts mantém sua fábrica no Brasil desde 2010 — a única fora da itália — e já entregou mais de 300 grandes embarcações

Na popa, há uma garagem para um bote de apoio do tipo hidrojato, com 4,80 m. A plataforma abre-se em forma de garagem, dando vez a um “beach club”, de 7,5 m2, perfeito para curtir o passeio bem pertinho do mar e acessar os brinquedos náuticos. Segundo a Azimut Yachts, outras três unidades da 27 Metri já foram encomendadas no Brasil, devendo ser entregues no primeiro semestre de 2021.

Na Europa, a embarcação, além de todos os seus atributos, ficou também conhecida como “o iate do Cristiano Ronaldo”, depois que o atacante do clube Juventus da Itália postou uma foto nas redes sociais deitado na espreguiçadeira do flybridge de sua 27 Metri, alcançando a marca de 8 milhões de likes em menos de 24 horas. Certamente, não foi apenas pelos lindos olhos do craque português.

Como navega

Se concluir uma travessia entre o Guarujá e Ilhabela a bordo de um barco de menor porte é uma experiência e tanto, imagina fazer isso em uma Azimut 27 Metri. Foi uma experiência empolgante, mesmo para quem está acostumado a comandar belos barcos.

O teste foi feito com a primeira unidade deste iate construído no Brasil. A bordo, nove pessoas, 85% da capacidade dos tanques de combustível, que é de 9 500 litros, e cerca de 1 400 litros de água doce (70% do tanque). De Ilhabela, a embarcação seguiu para Angra, comandada por um skipper da própria fábrica.

Ao assumir o posto de comando interno, fica a boa impressão de um verdadeiro iate, supercheio de estilo, bem operacional, e com acesso direto ao flybridge (o que é algo excelente) por uma porta de vidro e uma escada. O painel do comando interno tem três telas digitais coloridas. E tudo é muito bonito, confortável e ajustável, como era de se esperar de um barco deste nível. Uma poltrona mais confortável para o comandante deixaria tudo perfeito, e é opcional. No comando superior, a posição é agradável e a visibilidade excelente.

Na navegação entre o Guarujá e Ilhabela, no litoral de São Paulo, a Azimut 27 Metri manteve, a 2 000 rpm, um cruzeiro econômico de 21,9 nós e consumo de 510 litros/hora, oferecendo autonomia de 367 milhas náuticas

Hora de acelerar. Equipado com dois motores MAN V12 de 1 900 hp cada, a 27 Metri poderia atingir, segundo o estaleiro, 28 nós de velocidade máxima, com 24 nós de cruzeiro. Acionados os manetes, rapidamente alcançamos o cruzeiro econômico, sem esforços. Assim, ele manteve, a 2 000 rpm, um cruzeiro econômico de 21,9 nós e consumo de 510 litros/hora, oferecendo autonomia com 90% dos tanques, de 367 milhas náuticas.

Na Europa, além de todos os seus atributos, a Azimut 27 Metri também ficou conhecida como o iate do português Cristiano Ronaldo, astro do futebol mundial

A 24,9 nós, um pouco acima da velocidade de cruzeiro, a 27 Metri navega firme, com ondas de 1,2 metros entrando pela bochecha de boreste em períodos de 8 segundos. A 2 270 rpm, o consumo ficou na casa dos 660 litros/hora. A velocidade máxima, na melhor passagem, foi de 29,1 nós, com ajuste fino em torno de 30% dos flapes, uma marca acima dos números apresentados pelo estaleiro. Nesta velocidade, o consumo foi de 705 litros/hora.

Ao chegar em Ilhabela, a impressão que ficou é a de que a Azimut 27 Metri é um barco absolutamente firme, e que responde muito rápido e com facilidade — acima da expectativa inicial para um deslocamento carregado de 93 toneladas com propulsão V-Drive. Mais que isso, oferece as respostas no ponto que se quer, ainda que enfrentando ondas efetivas e sequenciais com mais de um metro, em velocidade acima do cruzeiro de 24 nós.

A decoração da Azimut 27 Metri tem peças e mobiliário exclusivos italianos e traz uma linguagem inspirada no conforto e funcionalidade para residências de alto luxo

Além disso, o iate praticamente não adernou em curvas fechadas, mesmo com todo o curso do leme empregado. Mérito do casco com “V” equilibrado de 13,6 graus e, sem dúvida, da ótima solução usada no conjunto: o sistema Humphrey eletrônico de controle dos flapes, que ajustou o barco perfeitamente, assim como os estabilizadores, por aletas laterais, que mantiveram a estabilidade da navegação a todo momento.

Enfim, o barco mostrou todo seu potencial e surpreendeu pela rapidez e precisão ao atender às solicitações do comando. Deixou aquela impressão de não ser apenas mais um iate com forte apelo de design, e sim uma embarcação navegadora. A Azimut 27 Metri é um primor de requinte e tecnologia. E, ainda por cima, navega muito bem.

Características técnicas

Comprimento total: 26,78m (87,1 pés)
Comprimento do casco: 22,62 m (74,3 pés)
Boca: 6,59 m
Calado com propulsão: 1,93 m
Borda livre na proa: 2,89 m
Borda livre na popa: 1,97 m
Altura do salão na entrada: 2,00 m
Ângulo do V na popa: 13,6 graus
Combustível: 9 500 litros
Água: 2 000 litros
Capacidade dia: 20 pessoas
Capacidade pernoite: 14 pessoas
Peso com motores: 93 toneladas
Potência: 2 X 1200 hp V12

Pontos Altos

» Navegação firme e bastante ágil
» Cinco suítes com opções de layout
» Desempenho acima do anunciado pelo estaleiro

Pontos Baixos

» Encosto do piloto no comando interno desconfortável
» Posição da tv da sala (embutida no teto) muito alta
» Consumo em cruzeiro econômico acima de 500 l/h

 

Quanto custa?

Cerca de US$ 10 milhões, já completa e com motores (versão testada por NÁUTICA). Preço pesquisado em fevereiro/2021. Para saber mais sobre o modelo testado, acesse o site oficial da Azimut Yachts, www.azimutyachts.com.br.

Quem fabrica?

Azimut Yachts é uma marca do grupo italiano Azimut Benetti com matriz na Itália. Além das fábricas na Itália, em 2010, inaugurou unidade de produção em território brasileiro, na cidade de Itajaí, em Santa Catarina, com mais de 20.000 metros quadrados de área construída e produção de barcos entre 40 e 100 pés.

Com suas coleções Atlantis, Verve, Magellano Flybridge, S e Grande, oferece a barcos de 34 a 120 pés. Está presente em mais de 70 países por meio de uma rede de 128 centros de vendas e assistência, além de agências de representação e assistência direta em Xangai, Hong Kong e Fort Lauderdale (EUA).

Reportagem: Guilherme Kodja
Edição de texto:
 Gilberto Ungaretti
Edição de vídeo: TakeBoom Produções
Fotos: Rogério Pallatta e Victor Oliveira/TakeBoom

Gostou desse artigo? Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações para ser avisado sobre novos vídeos.

Teste FS 290