#tbt: Phantom 500 HT, o início do conceito hard top no Brasil

0
1270

Nosso #tbt de hoje é com a lancha Phantom 500 HT, que marcou época ao criar a tendência das lanchas com hard top e teto solar no Brasil. Abaixo, veja o que NÁUTICA publicou na época, em 2007.

“Do início do projeto até o primeiro casco tocar na água, a Phantom 500 HT consumiu dois anos de trabalhos. Mas o tempo compensou, porque esta nova, de 50 pés, é um primor, tanto pela sua beleza quanto pelo aproveitamento do espaço a bordo. Ela leva, com folga, 16 pessoas e tem três camarotes para pernoite, onde dormem seis delas, além de um tripulante em camarote próprio e mais duas pessoas no salão. Seu casco é o mesmo da Phantom 480, mas, olhando, ninguém diz. Isto porque esta nova lancha não tem, como a 480, um flybridge. Em vez disso, manteve o posto de pilotagem no mesmo convés dos solários, cozinha e sala, como se fosse um loft e, ainda por cima, com um grande teto solar, que deixa boa parte deste conjunto ora aberto ora fechado, ao bel prazer do piloto.

“Este tipo de barco é uma tendência mundial”, explica Marcio Schaefer, que além de dono do estaleiro, é um dos projetistas de lanchas de maior sucesso no Brasil.

“O principal desafio foi adaptá-lo ao nosso clima quente”, completa. “Então, para garantir
uma boa ventilação natural, coloquei duas janelas em cada lado do salão e dividi a porta de entrada em quatro partes e não apenas em duas. Assim, ela abre bem mais”. O resultado,
além de eficiente, ficou bem bonito. Tanto que a nova Phantom 500 HT foi uma das grandes estrelas do São Paulo Boat Show de 2007.

A Phantom 500 HT agrada pelo ineditismo do projeto, marcado pelo estilo moderno e o acabamento do interior, onde seus maiores trunfos são o farto uso de madeira escura, o teto solar e o comando único. Ao concentrar o posto de comando, salão e cozinha no mesmo convés e separá-los da praça de popa apenas pela porta de vidro, ela integra todos a bordo num ambiente muito agradável. Já o convés inferior é, também, um ponto forte neste barco, por oferecer um bom conforto para até seis pessoas, nos seus três camarotes. Se a cozinha e o salão ficassem nesse pavimento, como na maioria das lanchas de comando aberto do mesmo porte, ela perderia, no mínimo, um camarote. Além disso, ao permitir o uso de dois potentes motores de 720 hp, ela chegará ao seu destino antes de qualquer outra lancha com propulsão de eixo e pé-de-galinha. São qualidades suficientes para fazer este novo barco da Schaefer Yachts sacudir o mercado. Uma, enfim,
bem-vinda novidade.”

Na época, a Phantom 500 HT foi testada em Florianópolis, com vento de 15 nós e ondas de 0,5 metro. A bordo havia cinco pessoas, 1 250 litros de óleo diesel e 600 litros de água. A
lancha estava equipada com dois motores Yanmar diesel 6SY-STP, de seis cilindros, 11,7 litros e 720 hp cada, acoplados a reversores ZF 325-1A, com relação de transmissão de 1,485:1 e hélices Hoffmann de nibral, de 660 x 830 mm. Fotos: Ito Cornelsen.

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones