Respeitado customizador de carros, Tarso Marques também transforma barcos em máquinas únicas

0
1630

Respeitado customizador de carros, o ex-piloto de Fórmula 1 Tarso Marques também domina a arte de transformar barcos convencionais em máquinas únicas de causar inveja. Será que vale a pena?

Entre os projetos que toca para o “Lata Velha”, festejado quadro do programado do Luciano Huck na Globo (em que reforma carros usados, dos quais o dono não quer se desfazer por nutrir por eles laços afetivos), e as personalizações de veículos que faz para o público em geral em sua oficina localizada na Vila Olímpia, em São Paulo, o ex-piloto de Fórmula 1, designer e respeitado customizador Tarso Marques cuida de outro projeto especial: a customização de lanchas, veleiros e iates.

Isso mesmo, pistas, ruas e oficinas não são os únicos redutos do ex-piloto de Fórmula 1. Para quem gosta de exclusividade — e quem não gosta? —, Tarso Marques também realiza projetos de quem deseja um barco único e sob medida.

“Muitos donos de barcos desejam se diferenciar de outros e tornar o seu como único”, conta o ex-piloto de automobilismo, justificando sua guinada para o mar. “Não tem sentido ter uma pintura somente branca, igual a uma geladeira, quando existem tantas possibilidades de escolhas”, defende o comandante da Tarso Marques Concept (TMC), empresa que se tornou referência mundial na customização, com atuação em vários segmentos: de carros e motos a aviões e helicópteros, passando é claro, pelos de barcos, que aprendeu a gostar desde criança, quando seu pai singrava com uma offshore, primeiro, pelas as águas de Caiobá, no litoral paranaense, e depois pela praia de Jurerê, em Florianópolis.

Seu projeto náutico mais vistoso foi a lancha offshore Intermarine 58 (acima), de design exclusivo, exibida no São Paulo Boat Show 2018, com grande sucesso. “No próprio salão, já recebi a encomenda de outro cliente da Intermarine Yachts”, revela Tarso. Mas não único: ele também já fez alguns projetos particulares, direto para o cliente, tanto no Brasil como nos Estados Unidos, onde também mantém escritório em Miami, e até na Europa.

“Em Mônaco, cheguei a desenvolver o projeto de um iate de 250 pés, mas que não foi concluído porque o cliente teve um problema de saúde e adiou a compra”, lembra Tarso, que recentemente concluiu o projeto de uma offshore de 43 pés inteiramente modificada (início do projeto acima), batizada de TMC 430, para seu uso pessoal.

Mas, será que vale a pena customizar um barco? “Não só vale a pena como não tem lógica não personalizar. Um barco customizado é uma peça única, produzida sob encomenda, seguindo estritamente o gosto pessoal de seu dono, e como tal não tem preço nem ano de fabricação: vale, como uma obra de arte”, ele sustenta.

Além da pintura, com a aplicação de cores diferentes, existem modificações que tornam a lancha ou o iate mais aconchegante. “Principalmente se tiver o interior dividido e decorado como o dono quiser, o que lhe confere um quê a mais de exclusividade”, explica Tarso. Também é possível obter ganhos no desempenho — é só dar um upgrade na potência do motor — e na segurança, com a colocação de vidros blindados (e reflexivos, para reduzir o calor dentro do barco) nas janelas, gaiutas e para-brisa.

“Juntamente com a estética, dá para melhorar muito a qualidade em relação ao projeto original, com o emprego de novas tecnologias e o uso de materiais mais descolados, mais bacanas. Muda completamente de padrão”, garante ele, que iniciou a bem-sucedida nova carreira a partir da customização de um carro antigo que pertencia a ele mesmo, um Chevrolet Bel-Air 1959.

Talento nato — “Comecei por acaso. Não fiz curso nenhum.  Na verdade, nem sei desenhar assim tão bem. Eu crio as coisas, passo para o pessoal da minha equipe e vou acompanhando tudo pelo computador — Tarso explica que, antes de abrir sua oficina, quebrou a cara tentando terceirizar o serviço. “Os caras pediam o desenho, diziam ‘vai custar tanto’ e prometiam entregar em três meses. Na hora agá, nada.  E quando faziam, estava mal feito, errado. Até que decidi tocar os projetos com equipe própria”, recorda ele. Que, garante: na maioria dos casos, os barcos personalizados pela TMC levam de um a dois meses para ficar prontos.

De suas pranchetas e imagens em 3D no computador saem propostas de customização para barcos novos e usados, de todas as categorias e tamanhos. Nas embarcações maiores, dá para mexer tanto na parte externa como na interna. Já nas menores (abaixo de 30 pés), as modificações são basicamente estéticas. “Dá para se fazer uma pintura diferente, aplicar um desenho que signifique algo especial para o dono do barco, e escolher as cores dos estofados, por exemplo”, indica o customizador.

Os projetos são feitos a partir de conversas com os clientes, para apurar as suas preferências pessoais. Enquanto os estaleiros privilegiam a produção em série, ele cuida de itens personalizados, seguindo estritamente o gosto do cliente.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Schaefer770