Teste Evolve 400 HT: sucesso no Brasil e nos EUA, lancha entrega muito conforto e bom desempenho

Lancha traz soluções inteligentes de layout, com alta qualidade

0
325

A equipe de NÁUTICA fez o teste da Evolve 400 HT, mais recente lançamento da Evolve Boats — estaleiro confirmado no São Paulo Boat Show 2022. A lancha de 40 pés tem acabamento cuidadoso e ótimo aproveitamento de espaço interno.

Com sua proposta de ser uma empresa global, a Evolve lançou a 400 HT primeiramente nas duas mais prestigiadas exposições de barcos dos Estados Unidos — o Fort Lauderdale e o Miami Boat Show — e, em seguida, com exclusividade, no Rio Boat Show 2022.

VEJA TAMBÉM
>> Evolve confirma presença no São Paulo Boat Show
>> São Paulo Boat Show: garanta 10% de desconto nos ingressos

Com sede em Palhoça, região metropolitana de Florianópolis, a Evolve Boats é um dos estaleiros de maior prestígio no país, já com 13 anos de operação. Uma história de muito sucesso que tem à frente o empresário Ricardo Wilges. Da linha de montagem do estaleiro, atualmente saem quatro modelos de lanchas: a 235 Cab, a 270 Cab, a 360 HT e a 400 HT. São barcos que se destacam pelo conjunto design-navegação-inovação, além da ótima relação custo-benefício, e que competem no mercado mundial, atravessando fronteiras.

O fato de os barcos serem exportados para os Estados Unidos e outros países exige do estaleiro evolução em ritmo constante, ao que a Evolve Boats reage com dinamismo, fazendo jus ao nome (tanto em português quanto em inglês, Evolve significa evoluir).

A cada novo projeto nota-se esse avanço, como prova a Evolve 400 HT, que é uma espécie de irmã maior da Evolve 360 HT — muita elogiada por conta de sua navegação estável e do bom desempenho, junto com o ótimo aproveitamento do espaço e a construção cuidadosa. Dela, a 400 HT herdou as melhores características, acrescidas de algumas inovações.

Um dos grandes diferenciais desta 40 pés é permitir que o cliente escolha a configuração interior. São quatro opções de layout: 1) dois camarotes, um banheiro e sala de estar com sofá pequeno; 2) duas suítes, mas sem sala e cozinha na cabine; 3) dois camarotes, um banheiro e sala de estar com sofá em L, com cozinha no salão; 4) dois camarotes, um banheiro e cozinha, sem sala de estar e sofá.

Na extremidade da proa, uma mesinha deu toque especial de bom gosto a área. O corredor lateral de acesso à proa tem 30 cm de largura e muitos pega-mãos.
O pé-direito no salão chama a atenção, com impressionantes 2,26 metros

Homologada para levar até 15 pessoas a bordo, essa 40 pés com HT e teto solar é bastante volumosa, perfeita para passeios durante o dia e curtos pernoites, sendo que quatro podem dormir a bordo.

Para aumentar a sensação de espaço a bordo, o projetista privilegiou a largura da lancha: são 3,50 metros de boca!

Para manter aquela sensação de espaço, o projetista privilegiou a boca do barco, que mede 3,50 metros. Com isso, conseguiu manter um corredor lateral de acesso à proa com 30 cm de largura e muitos pega-mãos — outro ponto alto do barco, junto com o cockpit, que é grande e bem dividido, como convém a um barco que é sinônimo de passeio.

Posto de comando duplo, com poltronas aconchegantes, fica dois degraus acima do nível do salão

Ainda na proa, a instalação de uma mesinha dá um toque especial de bom gosto a essa área. Especialmente porque dá para armar uma gostosa tenda, que oferece uma proteção além do esperado para o solário — que por sua vez é duplo, com encostos de cabeça reclináveis.

Ao lado, há vários porta-copos de inox, fixados dentro de uma estrutura de madeira. O mais legal da tenda é que ela pode ser montada rapidamente, com a armação de quatro pequenos postes de inox que se apoiam no guarda-mancebo, que por sua vez é alto e pouco lançado para fora, oferecendo uma sensação de maior segurança. E para quem gosta de trilha sonora a bordo, para animar ainda mais os passeios, caixas de som, em formato de canhão, podem ficar camufladas embaixo dos bancos. Os porta-defensas, giratórios, também são de inox, e estão incorporados ao guarda-mancebo. Enfim, uma área muito agradável, que faz com que essa lancha de 12,41m de comprimento pareça ainda maior do que é.

A área de popa da Evolve 40 HT oferece muitos itens de conforto, como um toldo do tipo stobag, que abre e fecha por acionamento elétrico, protegendo quem está na plataforma, e um belo espaço gourmet — com churrasqueira elétrica, tábua de corte, muitos porta-copos e porta-garrafas, pia com água quente e fria, geleira. Destaque para um excelente paiol, perfeito para armazenar a tenda de armar da proa, além de paióis menores, para guardar cabos, sapatos, máscara e snorkel, extintor e tudo o que é necessário estar à mão durante os passeios.

A cabine oferece opção de fechamento total do salão para maior privacidade. E, detalhe: a porta abre para ambos os lados

Na plataforma de popa, a impressão é que se está em uma verdadeira praia particular. São 3,15 metros de largura por 1,73 m de comprimento, aproveitando que a lancha tem (repita-se) 3,50 m de boca. Desses, 1,26 m são de área submersível, com acionamento por controle remoto sem fio ou por comando elétrico desde o posto de pilotagem — o estaleiro oferece ainda uma opção de plataforma sem a parte submersível.

Na versão com plataforma submersível, há uma escada do tipo robô, que se arma sozinha, conforme a plataforma móvel vai “afundando” na água. E há ainda uma segunda escada, tradicional, para os momentos em que a parte móvel não é acionada. Muito prático.

Além do espaço gourmet da plataforma de popa, há um segundo, de apoio, no cockpit, com fogão por indução de uma boca, bancada, pia de inox, torneira, gavetas e uma discreta e bem localizada lixeira. A praça de popa fica envolvida por um sofá em L que contorna a mesa de refeições, que é dobrável, e se prolonga até a entrada do salão, onde se conecta a outro sofá.

Muito inteligente são as folhas da porta que separa os dois ambientes: elas podem ser deslocadas tanto para a direita quanto para a esquerda, o que deixa a passagem muito mais ampla, quando necessário. Ainda no cockpit há um pequeno móvel com gaveta e espaço para uma cafeteira na parte de cima e uma caixa de gelo embaixo, além de uma placa (opcional) refrigerada elétrica.

Em um dos layouts opcionais, a cozinha fica posicionada no salão. No outro, é deslocada para a cabine. Nesta, a área social fica muito maior, e ainda abre espaço para a instalação de uma TV, que fica embutida em um nicho, com elevação e encolhimento por acionamento elétrico.

Quando posicionada no salão, a cozinha é muito bem ventilada, tanto pelo ar-condicionado, que tem uma saída sobre ela, quanto pela entrada de ar das janelas. Tem vários armários e gavetas, uma pequena geladeira, micro-ondas, pia com uma cuba grande e fogão por indução com duas bocas.

Um dos grandes diferenciais da Evolve 400 HT é permitir que o cliente escolha a configuração interior. Uma das opções de layout oferece duas suítes bem confortáveis

O pé-direito no salão chama a atenção, com impressionantes 2,26 metros. O posto de comando duplo, com duas poltronas verdadeiramente aconchegantes, fica um degrau acima. Entre outros recursos, tem duas entradas USB junto ao nicho para guardar objetos de uso pessoal (o popular porta-trecos).

Em todos os ambientes chama a atenção a grande luminosidade natural. O hard-top, de acionamento elétrico, abre ao toque de um botão e o teto solar, que além de banho de sol oferece agradável ar fresco no calor do Rio de Janeiro, é consistente com o tamanho do barco.

O pára-brisa é bem grande e oferece excelente visão da proa durante a navegação, além da excelente luminosidade natural

Na cabine, refrigerada por dois aparelhos de ar-condicionado de 16 mil BTUs cada, a altura chega a 2,01 metros. Na unidade testada, o camarote principal ficava à meia-nau, com cama de casal e cortinas de fechamento; e o segundo, na proa. E ainda há uma saleta com sofá, o que significa que cinco pessoas podem dormir a bordo. No camarote de proa, iluminado por uma grande gaiuta e por janelas (sem vigias laterais), a cama tem 2,34 metros de comprimento no seu ponto central e 1,53 m de largura na face média. Há um bom número de armários, além de espaço de armazenamento sob a cama.

Já no camarote de meia-nau, iluminado por duas grandes janelas com vigias, a cama mede 1,90 m por 1,53 m e o pé-direito, junto à saída da porta, é de 2,00 m. Todo interior do barco tem acabamento caprichado e de bom gosto, mas, no piso da saleta íntima havia uma saliência no canto do sofá que, com o balanço do barco, poderia causar algum incidente. Alertado, o estaleiro prometeu corrigir.

O acesso à casa de máquina se dá por duas entradas. A principal fica bem acima dos motores. A secundária, na praça de popa, facilita o acesso a geradores, ar, tanques, boiler. São dois tanques de combustível de 503 litros cada, o que resulta em uma excelente autonomia de navegação. As instalações e conexões (elétricas e hidráulicas) são de excelente qualidade, acessíveis, bem fixadas e integralmente codificadas.

Tão importante quanto a eficiência das instalações é que tudo esteja identificado e adesivado, para que na hora que aparecer algum problema (quando soar um alarme no painel, por exemplo) o comandante saiba onde procurar, sem perda de tempo. Na Evolve 400 HT a sinalização não deixa nada a desejar, assim como os espaços para manutenção, todos muito adequados.

Versátil, a Evolve 400 HT também aceita até três motores de popa, de 300 a 400 HP cada

Navegação da Evolve 400 HT

Com o Cristo Redentor ao fundo, testamos a Evolve 400 HT na Baía de Guanabara, em um dia sol e mar calmo, com boa ondulação fora da barra e ventos de baixa intensidade. A lancha estava equipada com dois motores diesel Mercruiser 4.2 litros de 350 hp cada, com sistema Axius — o que resulta em aceleração mais macia, porque, afinal, não usa cabos — e joystick para as manobras de atracação e para navegar em baixas velocidades.

A bordo, havia seis pessoas, 180 litros de água e 600 litros de combustível. Nessas condições, ela navegou com suavidade, respondendo bem aos comandos. Além disso, mostrou-se ser uma embarcação estável, executando as manobras com leveza. O ângulo de V de popa é de 17,5 graus contribui para a navegabilidade, permitindo ao casco cortar bem as ondas, com bom desempenho e estabilidade, e, por outro lado, pedem mais força para a arrancada inicial. Os dois motores diesel de 350 hp cada empurraram bem a lancha, que desloca aproximadamente 10,5 toneladas nas condições testadas. Eles exigem rotação alta na saída. Depois, se equilibram e a proa abaixa, num movimento que não passa de três ou quatro graus. Então, é possível aliviar os manetes.

No nosso teste, a velocidade máxima superou os 31 nós, uma marca ótima. Já na aceleração, precisou de 17,2 segundos para ir do 0 aos 20 nós, como era de se esperar de uma lancha que desloca muito peso e com grande boca, que avança mais à proa. Seu raio de giro é bom, compatível com seu tamanho, e permite manobras seguras e estáveis caso seja necessário fazê-las. Quanto à autonomia, o alcance da Evolve 400 HT mostrou ser de 220 milhas náuticas na velocidade de cruzeiro de 25 nós a 3 300 rpm — uma ótima marca para uma lancha de cruzeiro de 40 pés. Isso significa vencer a distância entre Santos e o Rio de Janeiro, ou vice-versa, porém, sem reserva, o que não é recomendado de forma alguma.

Versátil na motorização, a lancha já tem plano aprovado para a instalação de motores de popa, um diferencial a mais para entrar no concorrido mercado norte-americano.

A navegação foi suave e respondeu bem aos comandos. É uma lancha estável, que faz manobras com leveza. A velocidade máxima passou dos 31 nós, uma marca ótima!

O para-brisa, gigantesco, oferece excelente visibilidade na navegação, porém a unidade testada apresentou um certo reflexo, por conta do acabamento claro na parte anterior do painel. Facilmente corrigível. A janela lateral tem abertura, como deve ser, oferecendo ventilação natural e, na hora das manobras, comunicação com quem está do lado de fora do barco, além de acesso ao joystick, caso o próprio comandante esteja na passagem lateral.

O volante está bem posicionado e as manetes ficam à mão, assim como o joystick, para controle das rabetas e auxílio nas manobras. A botoeira é completa e sinalizada de forma primorosa e a posição dos relógios, excelente. Por sua vez, o painel, limpo e elegante, que imita fibra de carbono, não gera reflexos incômodos.

O sistema Zipwake, de flapes, que faz o controle automático de trim, está instalado e funciona de maneira excepcional. E há ainda um opcional muito bem-vindo, que a gente vê em pouquíssimos barcos, que é o “chain counter” — contador de corrente —, que indica a quantidade, em metros, de corrente lançada para a ancoragem, o que torna a manobra muito mais fácil e de longe mais segura.

Saiba tudo sobre a Evolve 400 HT

Pontos altos

  • Opção com duas suítes
  • Boa autonomia em cruzeiro
  • Espaço interno invejável

Pontos baixos

  • Reflexo do painel no vidro
  • Porta estreita na cabine
  • Deslocamento um pouco alto

Características técnicas

Comprimento total: 12,41 metros
Boca: 3,50 m
Calado com propulsão: 1,08 m
Altura da cabine: 2,04 m
Motorização: popa ou centro-rabeta
Potência: 2 x 300 a 430 hp cada
Capacidade dia: 15 pessoas
Capacidade pernoite: 4 pessoas
Ângulo de V na popa: 17,5 graus
Combustível: 1.006 litros (2 x 503 litros)
Água doce: 300 litros
Peso do casco: 9.500 kg
Peso com motor: 11.800 kg

Detalhes da Navegação

São dois tanques de combustível de 503 litros cada, o que resulta em uma autonomia de 220 milhas na velocidade de cruzeiro de 25 nós a 3.300 rpm.

Quanto custa a Evolve 400 HT?

A partir de R$ 1,788 milhão, com dois motores de 380 hp a gasolina e itens de série. Preço pesquisado em agosto/2022. Para saber mais sobre o modelo testado, acesse o site oficial da Evolve.

Reportagem: Guilherme Kodja
Edição de texto:
 Gilberto Ungaretti e Denise de Almeida
Edição de vídeo: Luiz Becherini
Fotos: Victor Oliveira e Divulgação

VENTURA - Monte seu quadri ARROBA