Star na Ilha

0
1198

A classe Star, considerada a mais nobre entre os monotipos que já disputaram os Jogos Olímpicos, participa da Ilhabela Sailing Week pela segunda edição consecutiva e neste ano a competição será válida pelo Campeonato Sul-americano, o que remeterá inevitavelmente à rivalidade esportiva entre brasileiros e argentinos. O esperado duelo que não aconteceu na Copa, será transferido para as águas de Ilhabela.

Os vizinhos brasileiros do sul terão pelo menos quatro barcos entre os 19 já inscritos na Star. As regatas do Sul-Americano serão disputadas entre os dias 22 e 26, paralelamente às provas das demais classes, que começam no próximo domingo (20) com a Regata Alcatrazes, em dia de treino oficial para os velejadores de Star. A classe estreou em 2013 em homenagem aos 40 anos da Ilhabela Sailing Week, com vitória da dupla Robert Scheidt e Bruno Prada.

Atual tricampeão sul-americano de Star, Ronald Seifert, o Ronie, chega a Ilhabela entre os favoritos, ao lado parceiro Marcelo Fuchs. A dupla acaba de retornar da Itália com o quinto lugar no Mundial. “Em 2013 suamos para ficar com o vice-campeonato e neste ano com a dimensão internacional, será mais difícil ainda. Os argentinos vêm fortes. O Torkel Borgstrom é um grande adversário, campeão nacional, vencedor de vários títulos importantes no país dele e conhece bem a raia porque sempre velejou de oceano em Ilhabela”, avalia Ronie.

O velejador paulista venceu o Sul-americano de Star em 2013, em Buenos Aires e em 2012, com Marcelo Fuchs. Em 2011, levantou o título ao lado de Lars Grael. “Já velejei com o Lars, Torben, Alan Adler; são verdadeiros craques, mas a vantagem do Marcelo é que ele sabe marcar como ninguém o ponto em terra para termos na largada a referência de posicionamento junto à boia ou à Comissão (CR)”, elogia Ronie

Um brasileiro também merece toda a atenção e respeito por parte de Ronie. “Se o Lars estiver na raia ele será sempre o maior adversário. Tem ganhado tudo junto com Samuel Gonçalves e só perdeu o Mundial na Itália por um descuido. Eles eram os favoritos lá e serão ainda mais aqui” prevê o velejador da dupla do Yacht Club Santo Amaro (YCSA). Lars e Samuel tornaram-se os primeiros brasileiros a vencer a tradicional Bacardi Cup de Star com a conquista deste ano em Miami. “A Star é muito técnica e exige muita concentração a bordo, por isso os campeonatos da classe costumam reunir ótimos velejadores na raia, o que eleva ainda mais o nível da disputa”, analisa Lars, que também terá a oportunidade de buscar o quarto título sul-americano, após as conquistas de 2005, 2008 e 2011.

A flotilha de Star terá o privilégio de reverenciar um nome histórico da vela olímpica brasileira. Reinaldo Conrad levará para a raia de Ilhabela a honra de ter sido o primeiro velejador do país a ganhar medalha em Jogos Olímpicos. O representante do YCSA conquistou o bronze na Flying Dutchman no México, em 1968, e repetiu a proeza oito anos depois em Montreal.

O vice-campeão olímpico Bruno Prada, terceiro no Mundial de Star na Itália, também marcará presença, mas neste ano como timoneiro, ao lado de Guilherme de Almeida, na briga pelo bicampeonato da Ilhabela Sailing Week. O parceiro do título de 2013, Robert Scheidt, em campanha olímpica de Laser para os Jogos de 2016, estará ausente. Bruno, tri mundial da classe com Scheidt, correu em Malcesine (ITA) com o norueguês Eivind Melleby.

Os representantes da Argentina terão três barcos do Clube Náutico dos Olivos, entre os quais o de Torkel e mais um veleiro do Clube de Regatas La Plata. O Sul-americano de Star ainda contará com tripulações dos Iates Clubes, da Bahia, Rio de Janeiro e Brasília, Clube de Campo São Paulo, Yacht Club Paulista, e Asbac SP, demonstrando a força da nobre classe que mais rendeu medalhas olímpicas à vela brasileira.

A Ilhabela Sailing Week tem a organização do Yacht Club de Ilhabela e os patrocínios de Mitsubishi, Banco do Brasil e Correios. As regatas no Canal de São Sebastião reunirão embarcações das classes S40, ORC, IRC, C30, HPE-25, RGS, RGS Cruiser, Clássicos e Star, sendo que as regatas de ORC e Star também serão válidas pelo Campeonato Sul-americano de ambas as classes.

Foto: Marcos Méndez/SailStation

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.

Web Tecnologia