Scheidt se mantém no top 2 da SSL Finals e luta por vaga na decisão

0
479
Foto: Gilles Morelle

Robert Scheidt e Henry Boening, o Maguila, seguem entre os líderes da Star Sailors League Finals 2018. Nesta quinta-feira (6), na sede no Nassau Yacht Club, nas Bahamas, o bicampeão olímpico e seu proeiro conseguiram um 2º 12º e 3º lugares nas três regatas do dia. Com isso, figuram em segundo lugar na classificação geral, com 23 pontos perdidos, apenas um atrás dos norte-americanos Mark Mendelblatt e Brian Fatih, com 22. Em terceiro aparecem os também brasileiros Jorge Zarif e Pedro Trouch, com 31.

A meta de Scheidt nesta sexta-feira (7) é retomar a ponta na tabela. Isso porque, o líder da fase de classificação vai direto à final de sábado (8), enquanto o segundo colocado passa para a semifinal. Pelo regulamento da SSL Finals, os dez primeiros que avançam para as regatas decisivas, todas no sábado, quando serão disputadas as quartas de final, semifinal e final. A cada prova da fase decisiva três barcos são eliminados.

“Tivemos um dia de vento forte e foi bem exigente fisicamente. A disputa está equilibrada aqui em Nassau. Infelizmente cometemos alguns erros na segunda regata e não fomos tão bem, mas compensamos velejando de forma consistente nas outras duas. Assim, acredito que demos um passo importante para garantir um lugar entre os dez, que é o primeiro objetivo do campeonato. Vamos ver o que conseguiremos amanhã (sexta-feira)”, analisou o maior medalhista olímpico da história do Brasil, com cinco pódios, que tem patrocínio do Banco do Brasil e Rolex e apoio do COB e CBVela.

A terceira regata do terceiro dia em Nassau apresentou um resultado histórico para o Brasil. Três barcos com a bandeira verde-amarela cruzaram na frente, com Lars Grael/Samuel Gonçalves em primeiro, Jorge Zarif/Pedro Trouch em segundo e Robert Scheidt/Henry Boening na terceira posição.

Luta pelo bicampeonato – Se conseguir alcançar o título em 2018, Scheidt se tornará bicampeão da SSL Finals. Ele venceu logo na estreia da competição, em 2013, com Bruno Prada. No ano seguinte, com o mesmo proeiro, ficou em quinto lugar. Em 2016, subiu ao pódio em terceiro lugar, ao lado de Maguila. No ano passado, faturou a medalha de prata. Uma das razões para Scheidt alimentar boas expectativas para as finais da Star Sailors League está nos bons resultados recentes. Há menos de um mês, conquistou o Sul-Americano de Star, no Rio de Janeiro, ao lado de Arthur Lopes. Ele também voltou a competir na classe Laser e ficou em segundo lugar na Copa Brasil, em Florianópolis, também em novembro.

Regras do campeonato – Nos quatro primeiros dias, as 25 tripulações correm 11 regatas, todos contra todos, com apenas um descarte. As dez primeiras colocadas permanecem no campeonato para disputar três regatas no dia decisivo: quartas de final, semifinal e final. O líder da fase de classificação vai direto à final. O segundo colocado passa para a semifinal. A cada regata da fase decisiva três barcos são eliminados.

As regatas serão transmitidas ao vivo na Internet pelo site oficial do evento.

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones