Primeira usina de ondas da América Latina deve começar a operar em 2020

0
1829
Foto: Reprodução

Uma usina localizada no quebra-mar do Porto de Pecém, no Ceará, tem o objetivo de transformar a energia das ondas em energia elétrica. Projetada para começar a operar em 2020, apesar de ter começado a construção em 2012, a iniciativa é a primeira da América Latina.

O projeto é de pesquisadores da Coordenação dos Programas de Pós-Graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro e a natureza da tecnologia é 100% brasileira. Estima-se que o espaço gerará 100 quilowatts para abastecer o principal porto cearense. Para se ter uma ideia, é possível atender aproximada 60 famílias locais.

LEIA TAMBÉM
>>Yanmar apresentará motores para lanchas e veleiros no Boat Show
>>Noruega abre investigação sobre navio de cruzeiro que ficou à deriva
>>Decreto regulamenta transporte náutico em orla de Aracaju

Com equipamentos de baixo impacto ambiental, a principal inovação é a construção em módulos, que permite a ampliação da capacidade. Cada módulo é formado por um flutuador, um braço mecânico e uma bomba conectava a um circuito de água doce. A medida que as ondas “chacoalham”, as bombas hidráulicas são acionadas e fazem a água doce circular em um ambiente de alta pressão. Logo em seguida a água doce vai para um acumulador, com água e ar comprimidos em uma câmara hiperbárica.

Segundo os pesquisadores, o Brasil tem oito mil quilômetros de extensão litoral que poderia receber uma usina similar e gerar aproximadamente 17% da atual capacidade instalada. Para essa unidade, o investimento será de 18 milhões de reais.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones