Primeira embarcação elétrica “voadora” promete tornar transporte da Suécia mais rápido

A balsa elétrica Candela P-12 Shuttle reduzirá o tempo de viagem de 55 para 25 minutos entre a cidade de Estocolmo e o subúrbio de Ekerö.

0
161

A empresa de tecnologia marítima Candela divulgou as primeiras imagens do que promete ser a embarcação elétrica mais rápida, de maior alcance e com maior eficiência energética de todos os tempos. O Candela P-12 Shuttle, como é chamado o modelo inovador, transportará cidadãos entre Ekerö, em Estocolmo (Suécia), e o centro da cidade no próximo ano. “Voando” sobre a água, a embarcação elétrica com capacidade para 30 passageiros prevê uma velocidade de 30 nós.

Também oferece deslocamento mais rápido do que as linhas de metrô e ônibus com as quais compete, além de ser infinitamente mais eficiente em termos de energia do que as embarcações a diesel que atualmente atendem a mesma rota. Talvez mais significativo, o modelo é mais rápido do que viajar de carro na hora do rush. O segredo para sua alta velocidade e longo alcance são as três “asas” de fibra de carbono que se estendem por baixo do casco. Esses hidrofólios ativos permitem que a embarcação se eleve acima da água, diminuindo assim o arrasto.

A tecnologia da Candela reduz a energia por passageiro-quilômetro em 95% em comparação com as embarcações atuais, permitindo um alcance sem precedentes de 50 milhas náuticas em velocidade de serviço, de acordo com informações da empresa. Usando o equivalente a 0,1 kWh de eletricidade por passageiro-quilômetro, o modelo é mais eficiente em termos energéticos do que um ônibus elétrico híbrido. Além disso, com carregamento de até 200 kW DC, ele pode carregar sua bateria em menos de uma hora, promete.

Mais importante ainda, as lâminas de fibra de carbono afiadas reduzirão o tempo de viagem de muitos passageiros pela metade. Atualmente uma viagem de 55 minutos de ônibus, metrô ou balsa convencional (ou até mesmo carro na hora do rush), o Candela P-12 Shuttle fará o percurso de 15 km em apenas 25 minutos – economizando ao viajante uma média de 50 minutos por dia. “Isso terá um enorme impacto positivo na vida das pessoas – você pode trabalhar mais uma hora ou pegar seus filhos na escola uma hora mais cedo”, diz Erik Eklund, vice-presidente de embarcações comerciais da Candela.

A primeira balsa voadora elétrica também elevará a experiência dos passageiros a um nível totalmente novo, graças ao sistema de computador mais avançado encontrado em um barco de passageiros, diz a empresa. Aqueles propensos ao enjoo apreciarão o passeio suave em condições meteorológicas adversas. Voando silenciosamente sobre as ondas, o Candela Flight Controller – um computador que regula os hidrofólios 100 vezes por segundo – promete um passeio estável e suave sobre as ondas que deixariam muitos enjoados.

“Não há outra nave que tenha esse tipo de estabilização eletrônica ativa. Voar a bordo do P-12 Shuttle em mares agitados será mais parecido com estar em um trem expresso moderno do que em um barco: é silencioso, suave e estável”, garante Erik Eklund.

A região de Estocolmo operará o primeiro P-12 Shuttle por um período experimental de nove meses durante 2023. Se atender às altas expectativas colocadas nele, a esperança é que a frota da cidade de mais de 70 embarcações a diesel seja eventualmente substituída por P-12 Shuttles – mas também que o transporte terrestre de rodovias congestionadas pode se deslocar para as hidrovias.

“O tráfego marítimo é o transporte público mais popular da região, e quero expandi-lo. Mas precisamos de uma tecnologia melhor para viajar mais rápido e reduzir o impacto climático. Portanto, estamos felizes em experimentar esta nova tecnologia para o tráfego fluvial. Este projeto pode contribuir para soluções que podemos usar em Estocolmo, mas também oferece oportunidades para exportações e empregos na região de Estocolmo”, diz Gustav Hemming, vice-presidente do Conselho Executivo Regional em Estocolmo.

O tamanho prático do P-12 Shuttle – com uma cabine confortável e arejada para 30 passageiros sentados – aumenta sua versatilidade. Em Estocolmo, os barcos de passageiros têm uma taxa de ocupação média de 17%, o que significa que um modelo de 300 passageiros transporta apenas cerca de 50 pessoas na maioria dos dias.

A visão da Candela é substituir os grandes navios de hoje, predominantemente a diesel, por frotas ágeis de P-12 Shuttles mais rápidos e menores, permitindo partidas mais frequentes e mais passageiros transportados, a um custo menor para o operador. Na rota Estocolmo-Ekerö, a proposta de Candela é substituir o atual par de embarcações a diesel de 200 pessoas por pelo menos cinco P-12 Shuttles, o que duplicaria o potencial de volume de passageiros e reduziria o custo operacional.

“Em vez de duas saídas por dia, haveria um P-12 saindo a cada 11 minutos. Isso permite que os passageiros ignorem os horários e simplesmente vão para o cais e esperem pelo próximo barco”, diz Erik Eklund.

Produção em massa para transporte de massa

A Candela colocará a quilha de fibra de carbono na primeira unidade do Candela P-12 Shuttle na nova fábrica automatizada da empresa em Rotebro, nos arredores de Estocolmo, no final de 2022. Após os testes iniciais, os primeiros passageiros de Estocolmo poderão utilizar o serviço em 2023.

O primeiro P-12 Shuttle será seguido por muitos outros, à medida que a produção em série aumenta na fábrica da empresa em Rotebro. Usando métodos de produção já simplificados para a fabricação de barcos de lazer da Candela, a empresa pretende lançar centenas de P-12 Shuttles por ano. A marca vê uma enorme demanda de mais de 600 cidades, municípios, operadores de embarcações e desenvolvedores urbanos que já manifestaram interesse no P-12 Shuttle como uma alternativa mais rápida, barata e verde aos barcos a diesel existentes ou ao transporte terrestre.

Triton Yachts