Pescadores são cercados por 20 orcas na Praia de Itacimirim, no litoral da Bahia

0
1638

Siga nosso TWITTER e veja a série Dicas Náuticas diariamente.

“Foi uma experiência maravilhosa, mas não queria passar de novo, não!”, diz o pescador Giovani Santos da Silva

“Olha uma baleiazinha ali”, gritou Carlos Giovani ao avistar uma baleia se aproximando do barco em que saiu para pescar neste domingo, 13 de setembro, ao lado do filho, Giovani Santos da Silva, na costa da Praia de Itacimirim, que fica na cidade de Camaçari, na Bahia. “Meu pai, não é uma jubarte. É uma orca”, identificou o filho, que imediatamente começou a filmar a cena, com a câmera do celular.

De repente, não era mais apenas um animal, mas um grupo de cerca de 20 orcas, entre adultas e filhotes, que cercaram o barco dos dois pescadores. A experiência, que se estendeu por cerca de duas horas, gerou um misto de alegria e medo.

“Elas começaram a se aproximar lentamente, a se acostumar com a embarcação”, conta o filho. Aí, foi uma alegria só. Mas, de repente, uma delas agarrou e quebrou um isopor que estava pendurado no casco do barco. “Depois, o negócio foi apertando”, lembra o pescador.

Os animais começaram a bater no fundo da embarcação, assustando pai e filho, que resolveram voltar mais cedo da pescaria. “Foi uma experiência maravilhosa, mas não queria passar de novo, não!”, diz Giovani da Silva.

Falando à TV Bahia, o biólogo Francisco Kelmo explicou que, apesar do susto, as orcas, que são da família dos golfinhos, são animais que não atacam humanos e que o fato delas estarem em grupos é normal. “Qualquer dano causado ao barco foi puramente acidental. Não existe possibilidade delas atacarem a embarcação”, garantiu.

LEIA TAMBÉM
>> Movido a velas que parecem asas de avião, navio atravessará o Atlântico com 7 mil carros a bordo

>> Hotel de luxo em Singapura tem um barco no topo, em homenagem à região portuária

>> Conheça o mini barco da Marinha dos EUA que possui o tamanho de um carro

Coincidentemente (ou não), dois dias antes (na sexta-feira, 11 de setembro), no norte da Espanha, um barco foi atingido por orcas, por algum motivo desconhecido.

Embora a maioria das orcas ignore os barcos no mar, algumas delas, aparentemente, estão interessadas ​​em colidir com eles, gerando uma série de perguntas e um pouco de apreensão.

Um delivery da Halcyon Yachts estava levando um veleiro de 30 pés para o Reino Unido quando uma orca bateu em sua popa por pelo menos 15 vezes, de acordo com uma reportagem do jornal britânico The Guardian. O incidente fez com que o barco Beautiful Dreamer perdesse o leme, obrigando seu comandante a pedir ajuda, sendo então rebocado para a cidade espanhola de La Corunha.

A Sociedade de Salvamento e Segurança Marítima, entidade do governo espanhol, se manifestou, aconselhando os navegantes a não se aproximar das orcas. “Há um alerta de rádio em vigor. Caso você veja essas orcas, não se aproxime e mantenha uma grande distância.”

Esta não é a primeira vez que orcas se chocam contra barcos ao longo das costas da Espanha e de Portugal. Nas últimas semanas, outros dois barcos tiveram contato com estes animais na área. Um deles era um veleiro da marinha espanhola, o Mirfak. Embora a tripulação tenha tentado evitar as orcas, os animais ainda conseguiram causar sérios danos ao seu leme de madeira.

Os pesquisadores afirmam que o comportamento é estranho, mas não deveria ser alarmante. O biólogo Alfredo López, da Coordenadoria para o Estudo dos Mamíferos Marinhos, acredita que esses incidentes podem ser atribuídos a orcas jovens que estão em uma fase de aprendizado e curiosidade.

Mas ele acha que é importante ressaltar que as pessoas não devem ter medo, visto que as orcas não pulam no convés para atacar as pessoas. “Não há evidências em todo o mundo de um ataque premeditado a uma pessoa, ferimentos ou qualquer coisa assim”, garante.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

FS Yachts