Pesca ilegal

0
3144

Barcos de pesca chineses operam ilegalmente na costa da África Ocidental, segundo denunciou o Greenpeace nesta quarta-feira (20). A organização apresentou, em Pequim ,os resultados de uma grande investigação. O número de barcos de pesca com bandeira chinesa ou pertencentes a empresas do país tem aumentado desproporcionalmente, passando de 13 em 1985 para 462 em 2013, segundo a ONG de defesa ambiental.

Em oito anos, a ONG afirma ter detectado 114 casos de pesca ilegal realizadas por esses navios nas águas da Gâmbia, Guiné, Guiné-Bissau, Mauritânia, Senegal e Serra Leoa. Estes navios operam principalmente sem autorização ou em zonas proibidas.

Sessenta destes casos estão ligados à maior empresa de pesca deslocalizada da China, a estatal China National Fisheries Corporation (CNFC), de acordo com os resultados desta pesquisa de dois anos realizada pelo Greenpeace Leste da Ásia e Greenpeace África.

“Num momento em que o governo chinês está eliminando certas práticas de pesca destrutivas de suas próprias águas, as lacunas existentes em sua política levam à implementação de padrões menos rígidos na África”, lamenta a ONG em comunicado.

Segundo o texto, os casos foram registrados pela Unidade de Coordenação de operações da Comissão Regional de pesca com base em Dakar, e pelo Greenpeace.

As ONGs explica que os casos mais recentes foram observados por seu navio “Esperanza”, que navegava nas zonas econômicas exclusivas (ZEE) do Senegal, Guiné-Bissau e Guiné entre 26 de outubro e 21 de novembro de 2014.

“Somente nas águas guineenses, o navio documentou 16 atividades de pesca ilegais por 12 navios de bandeira chinesas ou empresas que pertencem a este país, ou seja, a média de um caso de pesca chinesa ilegal a cada dois dias”.

Fonte revista Pesca Esportiva

Foto Divulgação

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.