Parque eólico flutuante começa a gerar energia em Portugal

0
488

Uma turbina eólica flutuante ao largo da costa no norte de Portugal começou a transmitir eletricidade para a rede, um passo crucial para uma tecnologia que poderia aumentar muito o potencial de energia eólica offshore.

O projeto WindFloat Atlantic é financiado por empresas europeias de energia como EDP Renováveis, Engie e Repsol e usa a plataforma flutuante desenvolvida pela Principle Power. Três turbinas com capacidade combinada de 25 megawatts serão conectadas, ajudando a aumentar a viabilidade econômica de parques eólicos flutuantes no mercado cada vez mais competitivo de energia renovável.

LEIA TAMBÉM

As turbinas flutuantes podem ter uma vantagem em relação às plataformas offshore tradicionais devido à instalação mais rápida. As turbinas em Portugal flutuam 100 metros acima do fundo do mar, uma profundidade cerca de dois terços maior do que a máxima possível para fazendas offshore fixas.

Várias empresas, como a norueguesa Equinor e a Royal Dutch Shell, investiram em energia eólica flutuante. Países como França, Coreia do Sul e Japão, que possuem ambições de aumentar o fornecimento de energia com baixo teor de carbono, mas também com áreas limitadas por fundo marinho raso, podem ser grandes mercados para a tecnologia.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.

Schaefer770