Grupo italiano lança nova marca de iates. Primeiro modelo terá 130 pés

0
527

O grupo italiano Antonini, construtor de navios comerciais ativo no setor de petróleo e gás, entrou no mercado de iates de luxo com a criação de uma nova marca – Antonini Navi. O projeto é uma criação de Aldo Manna e conta com o apoio total da família Antonini, com um investimento planejado de mais de € 10 milhões.

A nova marca assenta em três pilares: a herança de know-how técnico e comercial no mundo dos superiates, o toque empreendedor da família Antonini e a localização estratégica do estaleiro.

A marca Antonini Navi reunirá os serviços marítimos oferecidos pelo Grupo Antonini, a fim de fornecer ao mercado uma oferta completa, desde a construção de iates personalizados de até 70 metros até serviços que incluem remontagem, pós-venda e atracação de superiates, além de continuar construindo para terceiros.

LEIA TAMBÉM
>> Como funciona o rigoroso teste em piscina das lanchas Sessa Marine
>> 9 raças de cães que gostam de barcos. Qual combina com você?
>> Triton Yachts lança compra programada para barcos novos. Saiba como funciona

O projeto também adotará a criação de uma nova linha de iates de 30 a 50 metros, projetada pelo arquiteto e designer Fulvio De Simoni e nomeada Crossover para sinalizar sua natureza inovadora e seu apelo no mercado. A primeira unidade a ser construída será o Crossover de 130 pés (40m).

O Gruppo Antonini agora tem cerca de 200 funcionários e 50 colaboradores e vários deles serão designados para o novo projeto, que se concentra em quatro áreas de ação distintas, todas baseadas na sede da Marina di Pertusola, em Antonini Navi.

“Antonini Navi é um sonho da nossa família”, explica Simone Antonini, parceira e CEO da Antonini Navi. “Na década de 1980, nosso avô Walter, que fundou o negócio, reconheceu o enorme potencial para iates e serviços relacionados. Por isso, ficamos tão entusiasmados de montar Antonini Nav. Nossa família acredita firmemente nesse projeto, motivo pelo qual decidimos investir 10 milhões para converter toda a área do estaleiro La Spezia e fazer uma entrada ousada em um setor em que já tínhamos presença através de operações de reajuste e produção contratada. Nunca deixaremos de olhar mais para o futuro”, finalizou.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Schaefer770