Nova classe de origem inglesa estreiará na 31ª edição da Refeno

0
689

A 31ª edição da Regata Internacional Recife-Fernando de Noronha (refeno) tem mais uma grande novidade. Para este ano, a competição também será disputada, pela primeira vez, pela classe VPRS (Velocity Prediction Ranting System), que já utilizada nas competições organizadas pela Flotilha Baiana de Veleiros de Oceano (FVOBA) e, agora, pela Flotilha Recifense de Veleiros de Oceano (FREVO).

A classe tem origem inglesa e é aplicada por diversas flotilhas da Inglaterra. A regra leva em consideração as características e medidas das embarcações, inclusive peso, para calcular os fatores de correção aplicados.

LEIA TAMBÉM
>>Concorra a um jet Sea-Doo com som e carreta Odne no São Paulo Boat Show 2019
>>Passeio da Flotilha Guanabara reuniu 34 veleiros na baía da Ilha Grande
>>Casco número um de nova linha de iates holandeses será lançado em setembro

Desta forma, o VPRS usa um programa de previsão de velocidade (VPP) e um conjunto de medições do casco e velas para obter uma avaliação científica do desempenho do veleiro. As velocidades do barco são previstas para uma variedade ampla de velocidades do vento vindo de diversas direções (mareação). Uma média ponderada das previsões é então tomada e expressa como um coeficiente de correção de tempo (TCC).

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.