Pesquisadora revela em livro o que você provavelmente já sabia: navegar é um santo remédio. Saiba por quê

0
995

O contato direto com a água e a natureza, a brisa do mar batendo no rosto, o desligamento do cotidiano, o horizonte se perdendo nas dimensões do oceano, a deliciosa sensação de liberdade… Ah, navegar traz benefícios para a cabeça e para a saúde. É um santo remédio. Basta observar a expressão das pessoas durante os passeios na água para saber disso.

A britânica Deborah Cracknell, pesquisadora do National Marine Aquarium, de Plymouth, na Inglaterra, decidiu atestar isso com base na ciência. O resultado está no recém-lançado “O mar, uma terapia para o nosso bem-estar”, livro em que ela detalha os inúmeros benefícios do oceano para a saúde mental. A água, segundo a pesquisadora, faz parte de um certo tipo de paisagem que ela chama de reparadora — nosso corpo estaria “programado” para reagir a ambientes benéficos. Assim, o simples olhar para o mar já melhoraria o nosso humor e promoveria calma durante momentos de estresse ou exaustão cognitiva. “A superfície e a aparência mutável com os reflexos do sol, a formação de ondas e as variações de tons de azul geralmente causam uma sensação de calma e serenidade”, afirma a Deborah.

De acordo com este trabalho, ao estar em contato com o mar, uma série de respostas fisiológicas são produzidas. Liberamos endorfinas, o nível de cortisol é reduzido, geramos ondas alfa em nosso cérebro. Excelentes motivos para se ter um barco.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.