Navegação exclusivamente elétrica em Amsterdã impactará fortemente a indústria para associação holandesa

0
763
Foto: Reprodução

A cidade de Amsterdã planeja medidas drásticas para acabar com os engarrafamentos em seus canais históricos que levaram a um aumento de 30% nas queixas nos últimos anos. Os passos incluem uma mudança para a navegação de recreio apenas elétrica até 2025.

Os críticos incluem o lobby holandês de barcos HISWA. Gerdina Krijger, gerente regional, vê a eletricidade forçando os donos de barcos, fabricantes, empresas de aluguel e reparação a fazerem “pesados investimentos”.

Krijger também vê limites para o uso de barcos totalmente elétricos em uma cidade que abriga 20 mil barcos. Ela questiona se a cidade de Amsterdã – no caso de os serviços públicos não poderem fornecer energia suficiente – fornecerá “a quantia necessária de euros para tornar possível o passeio totalmente elétrico”.

LEIA TAMBÉM
>>Marinha lança segunda edição do Boletim de Acidentes Julgados no Tribunal Marítimo
>>Novo guia Águas do Paraná será lançado no Iate Clube de Caiobá
>>Fundador da Lowrance morre aos 80 anos

A HISWA também repreende a cidade por aumentos acentuados nas tarifas de excursões  “que farão com que os passeios de barco nos canais de Amsterdã sejam mais caros”.

As propostas também incluem a proibição de navegação noturna, a contenção do número de passageiros, a instalação de comissários nos pontos de parada de barcos e a redução de 550 para os operadores de barcos comerciais. Os barcos de turismo comercial também passam a ser totalmente elétricos.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?

A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app
e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Sedna 36 HT