Na ponta dos cascos

0
7202

A escolha de um barco vai muito além da estética. Além do design, que não deixa de ser importante, esta escolha exige, também, funcionalidade e adaptação ao tipo de tarefa a ser realizada pela embarcação. Por isso, NÁUTICA selecionou 8 formatos de cascos pensados para o melhor desempenho de cada tipo de barco. Confira:

Lançada em V

lancada_v

Típica das lanchas de lazer, também é usada em alguns navios. Seu formato faz com que o casco não sofra tanto o impacto das ondas, como acontece com os cascos chatos.

Lançada em V com flare

Vcom-flare

Gradualmente alargada, é mais usada em lanchas de pesca de alto-mar. Somada ao V acentuado do casco, garante navegação confortável e segura, afastando a água do convés.

Lançada para veleiros

lancada_veleiros

A grande inclinação garante bom desempenho em mar aberto, mantendo o casco o mais fora da água possível, mas diminui a linha d’água, o que restringe a velocidade.

Reta ou pouco lançada

proa_reta

Inspirada em barcos mais antigos, curiosamente está virando padrão em veleiros e em lanchas ultramodernas, como as dos estaleiros Wally, na Europa, e Zonda, no Brasil.

Invertida

invertida

Feita para furar as ondas, em vez de escalá-las, o que resulta em navegação mais suave, porém molhada. É usada em veleiros de alta performance, como os da America’s Cup e da Volvo Ocean Race. O objetivo é ter mais linha d’água.

Wave-piercing

wave-piercing

Como o nome em inglês já indica, sua função é “furar a onda”, assim como os cascos de proa invertida. Conceito adotado geralmente (mas não exclusivamente) por trimarãs.

Proa com bulbo

bulbo

Típica de cascos deslocantes, como navios e trawlers, diminui a resistência da onda gerada pelo casco, aumentando a velocidade do barco. De quebra, reduz o consumo de combustível.

Proa de colher

colher

Em concha, com a convexidade para fora, o que permite navegar através de águas cobertas por gelo. É usada em navios quebra-gelo nos polos Norte e Sul.

Foto: Arquivo NÁUTICA

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

COMPARTILHAR
AnteriorDragon Fly
PróximoSul-americano
Paulistano, formado em Comunicações Sociais e em História, passou 35 de seus 63 anos de vida em redações. Há 21 anos, trabalha em publicações sobre barcos, em especial NÁUTICA, em cuja redação ingressou em 2007, como repórter e editor. Atualmente, é colaborador fixo da revista.