Velejadoras brasileiras estreiam no Mundial de 49erFX nesta terça-feira

0
376
Foto: Matias Capizzano

As brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze disputam a partir desta terça-feira, 03/12, o Campeonato Mundial de 49erFX em Auckland, na Nova Zelândia. O evento, que acontece até o domingo (08/12), vai distribuir 6 vagas para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e promete uma competição acirrada entre as melhores velejadoras do mundo.

“O Mundial aqui vai ser num local bem diverso, os locais para regata são muito diferentes um do outro. Um pouco como o Rio, apesar das condições não serem parecidas”, conta Martine Grael. “Em comparação ao ano passado, estamos nos sentindo bem treinadas, com o dever de casa feito. Desde de janeiro estamos treinando novamente com o Javier Torres e a Martha Rocha, que fez milagre com a gente no ano passado, está nos dando umas ajudas pontuais”, ressalta Martine, que no Mundial de 2018, junto com Kahena, conquistou a vaga do Brasil para os Jogos Olímpicos.

“Depois de uma temporada no Japão, estamos aqui em Auckland treinando há três semanas. E as condições são bem diferentes da que encontramos por lá”, diz Kahena Kunze. “Vamos ter 8 opções de raias e a organização vai escolher a melhor para cada dia dependendo das condições”, explica Kahena. “O Mundial é um campeonato muito importante. Além das 6 vagas que ainda estão em jogo para as Olimpíadas, a disputa pela definição das duplas que vão representar os países já começou. Acredito que todas estão muito bem preparadas para o campeonato”, finaliza.

A primeira regata está programada para essa terça-feira, 03/12, às 14h, horário local. A medal race será no sábado, dia 8 de dezembro. A disputa na classe 49erFX contará com 61 duplas de 26 países, que foram divididas em dois grupos. Martine e Kahena disputam a competição na flotilha amarela junto com outras 30 duplas.

O Mundial é o evento mais importante do calendário da Vela antes dos Jogos Olímpicos de Tóquio. É chance que os velejadores têm para saber como está o desempenho perante os melhores do mundo. A competição reúne as classes 49er, 49erFX e Nacra 17, e vai distribuir nada menos do que 15 vagas para os Tóquio 2020: quatro para 49er; cinco para Nacra 17; seis para 49erFX. Lembrando que nas Olimpíadas participam apenas 20 países por classe e muitas das nações com tradição na vela ainda não se classificaram.

Na semana passada Martine Grael e Kahena Kunze disputaram o Campeonato da Oceania, também em Auckland. O evento que foi um esquenta para o Mundial e a dupla brasileira conquistou a medalha de prata.

Histórico da dupla brasileira em Mundiais:

2013 (estreia da dupla) – Prata

2014 – Ouro

2015 – Prata

2016 – 6º lugar

2017 – Prata

2018 – 4º lugar

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.