Marinha amplia monitoramento das águas no sul da Bahia

0
185
Fotos: Divulgação

Para um melhor monitoramento na área do entorno do Arquipélago de Abrolhos, oito navios da Marinha do Brasil (MB) e três da Petrobras estão no sul da Bahia. O posicionamento dos navios na região amplia a cobertura de visualização de manchas na água e o seu recolhimento, caso detectadas, de modo a abranger cerca de 22 mil quilômetros quadrados, o que equivale à área do estado de Sergipe.

O esforço no mar envolve ainda a mobilização de barcos pesqueiros, bem como das embarcações em trânsito na região, que serão orientadas pelo canal de rádio dos navios da Marinha nas proximidades do Arquipélago de Abrolhos. Os órgãos envolvidos realizam sobrevoos periódicos.

No dia 30 de outubro, em um helicóptero da Petrobras, representantes do Ibama, da Marinha e do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema) não detectaram vestígios do óleo na região. Além disso, o Ibama mantém ainda o monitoramento por satélite na região sul da Bahia.

Diariamente, equipes de militares da Marinha do Brasil monitoram a área costeira, por terra, em coordenação com órgãos ambientais e prefeituras da região, participando da limpeza de resíduos porventura encontrados nas praias.

Em Caravelas-BA, desde o dia 30 de outubro, 20 militares do Grupamento de Fuzileiros Navais de Salvador mantêm o monitoramento das praias da região.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo