#Minha Sessa: uma história de superação que virou amor entre o paranaense Giorgeo Zanlorenzi e sua Sessa C40

0
660

O paranaense Giorgeo Zanlorenzi tem uma história náutica de infância tão traumática que nunca imaginou subir em um barco outra vez. “Em uma pescaria com o meu pai eu enjoei e passei muito mal. Como estávamos em um barco de amigos, não podíamos retornar. Foi uma experiência que marcou minha vida. Pensei que nunca mais entraria em um barco”, relata.

Com o passar dos anos, ele acabou sendo inserido no meio náutico por causa dos filhos. “Os pais dos melhores amigos da escola dos meus filhos tinham barco e eles começaram a convidar para ir junto. Meus filhos adoraram! Em um fim de semana, eles me convidaram também e eu acabei indo. Achei muito bacana a natureza e o momento em família que o barco proporcionava. Minha mulher também ficou entusiasmada. Foi o start!”, lembra Giorgeo, que comprou seu primeiro barco, uma Sessa C40, a qual nomeou de “Z”, no São Paulo Boat Show de 2018.

LEIA TAMBÉM
>> Seaview: o iate que será construído pela MCP Yachts com a holandesa Vripack
>> Intermarine prepara dicas de como cuidar dos barcos durante a COVID-19
>> Teste Ventura V195 Crossover: a evolução de uma das lanchas mais vendidas do Brasil

“Visitei vários expositores no salão náutico. Mas quando conheci a Sessa C40 foi amor à primeira vista! O design, a divisão dos espaços e o acabamento são os principais pontos da lancha. “É uma embarcação completa, sou muito feliz com ela”, afirma.

Natural de Campo Largo, no Paraná, Giorgeo mantém sua Sessa C40 na Baía de Guaratuba e costuma ir às sextas-feiras para dormir no barco. “A natureza ali é muito linda, te dá uma paz incrível! Gosto do silêncio e o ambiente me relaxa. Gosto muito de navegar com a família até a Ilha do Mel e Santa Catarina”, descreve. “Nunca mais enjoei em um barco!”, comemora.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Schaefer770