Marinha do Brasil terá novos submarinos na defesa das fronteiras até 2022

0
226
submarinos marinha do brasil

Dono de extensa costa marítima, o Brasil conta com cerca de 95% do comércio exterior movimentado por hidrovias, de acordo com informações da Agência Brasil. Além de rotas comerciais estratégicas, uma série de jazidas minerais altamente valiosas estão localizadas em territórios marítimos.

Segundo o almirante de esquadra, Almir Garnier, comandante da Marinha, o patrulhamento e a defesa das fronteiras aquáticas brasileiras estão prestes a receber o reforço de quatro novos submarinos e de fragatas classe Tamandaré.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

Segundo o comandante, o primeiro submarino será recebido pela esquadra brasileira até o final deste ano, enquanto as três outras embarcações serão finalizadas no decorrer de 2022.

submarinos marinha do brasilA construção de submarinos é tida como indústria estratégica pelo governo brasileiro, já que impulsiona o desenvolvimento industrial e tecnológico, além de prover treinamento e patrulhamento ostensivo na imensa costa brasileira.

“Esse é o sistema de gerenciamento da Amazônia Azul. Todo esse patrimônio brasileiro precisa de um sistema de gerenciamento e coordenação que enxergue tudo do alto, de lado, de baixo”, afirmou o comandante da Marinha em entrevista.

Leia também

» Veleiro Galeão une modernidade do século 21 com inspiração em cargueiro espanhol do século 16

» Empresa automobilística britânica personaliza veleiro para combinar com carro de cliente

» Marina turca é considerada uma das melhores do mundo com credenciamento Gold Anchor Platinum

Almir Garnier também informou que um dos papéis da Marinha é definir as fronteiras marítimas brasileiras pela presença de navios e contingente em vigília constante, que monitoram e defendem interesses nacionais de acordo com a legislação vigente.

submarinos marinha do brasil

Esse é um dos muitos trabalhos que a Marinha tem feito durante a pandemia, em que, Garnier ainda ressalta o apoio logístico à distribuição de medicamentos, alimentos, roupas, vacinas e insumos para famílias em locais isolados do território nacional.

“Estamos envolvidos completamente nisso [combate à pandemia]. O nosso centro tecnológico, juntamente com a Universidade de São Paulo (USP), desenvolveu e produziu respiradores, que no início da pandemia eram muito críticos. Fizemos desinfecções de lugares públicos com a nossa equipe de capacidade de guerra bacteriológica, fizemos atividades de vacinação em todo o país, onde é mais difícil o acesso”, afirmou.

O almirante de esquadra lembrou ainda que a Marinha atuou na distribuição de alimentos para caminhoneiros no início da pandemia, quando a maior parte dos estabelecimentos comerciais de rodovias federais foram fechados.

Não perca nada! Clique aqui para receber notícias do mundo náutico no seu WhatsApp.

Multinautica