Atual maior iceberg do mundo, à deriva no Oceano Ártico, está se fragmentando. Confira

0
279

Nomeado de A68, o atual maior iceberg do mundo teve sua história iniciada em julho de 2017 quando se desprendeu da plataforma de gelo Larsen C, localizada na parte oriental da Península Antártica.

Alguns pesquisadores da NASA estimam que a fratura na Larsen C que formou o A68 começou a se abrir no início de novembro de 2016. Após a separação, o gigantesco A68, com cerca de 6 000 km², perdeu uma pequena parte da sua massa de gelo, originando o A68B (atualmente pequeno e próximo do extremo norte da Península Antártica). Apesar da imensa área do A68, inicialmente o iceberg tinha uma espessura de 200 m.

Desde então, a circulação atmosférica e o Giro de Weddell, corrente marinha do Mar de Weddell, movimentou o enorme iceberg A68 para o norte. As fragmentações dos últimos dois anos reduziram seu tamanho para ~ 5 800 km², área aproximada do Distrito Federal.

Em janeiro deste ano, a redução sazonal do gelo marinho no Mar de Weddell desprendeu o A68 em direção ao oceano aberto. Cientistas dizem que ele não se manterá por muito mais tempo, uma vez que o iceberg está atingindo a região de águas agitadas do Oceano Antártico.

LEIA TAMBÉM
>> NÁUTICA Live #2: quais os impactos do COVID-19 no setor de marinas e iates clubes?>> Posso ou não navegar? Autoridades apontam soluções durante NÁUTICA Live
>> Azimut Yachts apresenta versão 2020/2021 de iate de 83 pés

“Fico surpreso que as ondas do oceano ainda não tenham transformado o A68 em cubos de gelo. Ele tem uma proporção entre a área e a espessura equivalente a quatro folhas sulfites empilhadas”, disse o glaciologista Adrian Luckman, da Univerisdade de Swansea, no Reino Unido.

Antes da sua última fragmentação, o A68 teve um giro anti-horário durante o mês passado. No entanto, o colapso que originou o A68-C ocorreu no dia 23 de abril, e o novo bloco de gelo também girou de modo anti-horário nos dias posteriores.

A formação do A68-C em 23 de abril provavelmente teve uma contribuição atmosférica. Entre os dias 22 e 23, um sistema de baixa pressão se movia para leste nas latitudes do iceberg. Ventos de sul com velocidade média de 50 km/h e rajadas superiores a 70 km/h sopraram perpendiculares ao bloco de gelo A68.

Neste começo de maio, ambos icebergs estão à deriva nas águas geladas do Oceano Antártico, mas muito próximo do limite com o oceano aberto (águas mais quentes do Atlântico Sul). Eles estão a uma distância de aproximadamente 80 km ao norte do gelo marinho no Mar de Weddell. O imponente A68 ainda é grande, apresentando uma área de ~ 4 700 km².

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Schaefer770