Comprar um barco, novo ou usado, em até 72 parcelas? Conheça o Leasing Bradesco

0
615

Quem frequenta salão náutico, como o recente São Paulo Boat Show, já sentiu isso: o coração dispara, os olhos brilham e a ansiedade aumenta quando encontramos o barco com o qual sempre sonhamos. Mas aí vem a questão-chave: como pagar? Desembolsar à vista ou parcelar? Na segunda opção, a qual recorrer: ao financiamento tradicional ou ao leasing?

Para decifrar esse enigma, NÁUTICA ouviu um especialista no assunto — José Ramos Rocha Neto, diretor executivo do Bradesco, responsável, entre outras áreas, pela de empréstimos e financiamentos do banco —, que alerta: “Se o consumidor tiver seu capital imobilizado, é melhor pagar a prazo. E se esse consumidor for uma pessoa jurídica, a melhor opção é o leasing, operação que se assemelha a um empréstimo, usando o bem como garantia, e que está disponível para a compra de barcos, com taxas competitivas e prazos longos para o pagamento das parcelas”.

O Bradesco Leasing oferece taxas competitivas e prazos longos para o pagamento das parcelas

Explica-se: normalmente, o PJ, ou pessoa jurídica, mantém seus recursos em uma empresa patrimonial, na qual registra a propriedade de seus imóveis, de seus carros, das suas embarcações, etc., além de seus investimentos. “Muitas vezes, para conseguir maior rentabilidade, o empresário tem um fluxo nos investimentos que não lhe permite dispor do dinheiro, por serem investimentos de longo prazo. Nessa estratégia, ele precisa ter um colchão de liquidez.

Por isso, prefere recorrer ao leasing, em vez de pagar à vista, mesmo tendo recursos para isso”, explica Rocha. Ou seja, uma das vantagens do leasing é a liberação do capital de giro para as operações da empresa. Nesse tipo de financiamento (ou arrendamento, como o leasing é definido), o arrendatário pode financiar até 100% da embarcação. Normalmente, porém, ele prefere pagar 50% a 60% através do leasing. Ou seja, paga uma parte à vista e a outra fica por conta do arrendamento.

Na operação do leasing não há cobrança de IOF, Imposto sobre Operações Financeiras, que é de 1,5% ao ano

Mas, por que o leasing e não o financiamento tradicional? Aí, entra em jogo uma expressão mágica chamada tratamento tributário. Para a Pessoa Jurídica, há uma grande vantagem nesse tipo de operação: não há cobrança de IOF, Imposto sobre Operações Financeiras, que é de 1,5% ao ano. “Se o barco custa R$ 1 milhão, por exemplo, isso representa R$ 15 mil de economia por ano. Mas há outras vantagens”, lembra o diretor executivo do Bradesco.

Atualmente, o Bradesco Leasing ocupa a posição número 1 no setor, com cerca de 50% das operações realizadas no país. “Somos líderes absolutos em dois setores ligados a clientes de alta renda: o de aeronaves, em que temos quase de 40% de market share, e no de embarcações, em que temos mais de 50% de participação no mercado”, afirma Rocha. Com base nesse suporte, ele indica outras vantagens desse tipo de operação na compra de um barco.

O pagamento pode ser de longo prazo — no caso do Bradesco Leasing, até 72 meses!

A primeira delas é a possibilidade de efetuar a compra sem ter de desembolsar o valor total. Com isso, o empresário evita a imobilização do bem, mantendo seu nível de endividamento inalterado. Depois, o cliente adquire maior poder de negociação na hora da compra. “Como o vendedor vai receber à vista, diretamente do banco, o comprador pode exigir um bom desconto”, justifica.

Além disso, o pagamento pode ser de longo prazo — no caso do Bradesco Leasing, até 72 meses! Sem contar a possibilidade de fazer um upgrade, com a troca do barco arrendado por um maior. Neste caso, o barco do arrendamento inicial entra como parte do pagamento do novo — ou seminovo, uma vez que com o leasing também é possível comprar um barco usado.

Ainda há um prazo de carência de até cinco meses, além de flexibilidade no fluxo de pagamento

Apesar de ser considerado um arrendamento, na prática o leasing também é um financiamento. O arrendatário dá uma entrada, digamos de 20%, e financia os outros 80%. Se preferir, pode financiar os 100%. Além disso (atenção para o detalhe) é possível obter um financiamento sob medida, com pagamento, digamos, “personalizado”, de acordo com seu fluxo de caixa.

O diretor da Bradesco Leasing explica: “Oferecemos um prazo de carência de até cinco meses. E, se for o caso, ainda concedemos um intervalo de tempo no pagamento das parcelas, com flexibilidade do fluxo de pagamento, ou fluxo adequado, como dizemos. Isso significa que, se o cliente tiver uma concentração de entrada de dinheiro em um determinado período do ano, e estiagem em determinados meses, ele pode ficar, por exemplo, um trimestre sem pagar nada, e depois compensar esse valor nas próximas parcelas”. Ainda dentro do critério de “fluxo adequado”, há possibilidade de se pagar uma parcela maior em determinados meses, e uma menor em outros. Tudo é negociável.

Todas as embarcações, das mais diversas marcas, podem ser comprados por meio deste leasing

Não existe um valor pré-determinado para a compra de um barco. O padrão são lanchas a partir de 30 pés, que são embarcações de médio porte, embora o Bradesco Leasing atue mais fortemente no segmento das grandes embarcações, uma vez que mantém parcerias com grandes estaleiros do Brasil: Azimut, Intermarine e Schaefer. Mas todas as embarcações, das mais diversas marcas, são passíveis de contrato de arrendamento.

Como contratar o leasing? Durante o São Paulo Boat Show 2019, todas as operações podiam ser feitas dentro do próprio salão náutico. Agora, explica o responsável pela área de empréstimos e financiamentos do Bradesco, você deve ir à sua agência e solicitar o crédito. Segundo ele, tudo é muito simples. Em uma semana, garante, toda a operação estará concluída. Você paga pouco a pouco e curte o seu barco desde o começo.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.