ISW

0
1830

O cancelamento das regatas do último dia de competição, por falta de vento, confirmou os campeões da Ilhabela Sailing Week 2014, principal semana de vela nacional. Destaque para o Pajero na classe S40. A superioridade da tripulação multinacional fez a diferença, com o retrospecto de três vitórias em seis regatas. O vice-campeão Carioca, do Rio de Janeiro, ganhou duas e ficou à frente do Crioula, de Porto Alegre, campeão em 2013. O Magia Energisa, do bicampeão olímpico Torben Grael, também venceu uma regata.

“Só tivemos a confirmação de que a base da tripulação seria mantida na Ilhabela Sailing Week, em cima da hora. Não sabíamos quem viria. Além do mais, o barco é novo e não tivemos tempo para treinar, mas o entrosamento da equipe do TP52 superou as dificuldades”, relatou o timoneiro André Fonseca, o Bochecha. “Foi um grande resultado”.

A classe C30, sempre muito disputada, reuniu sete barcos e teve como campeão o Zeus Team, de Santa Catarina. A tripulação comandada por Inácio Vandresen é participante assídua em Ilhabela e conseguiu quebrar a hegemonia do bicampeão CA Technologies Loyal. “Esperava vencer, mas nosso desempenho foi surpreendente”, analisou Inácio.

Na classe IRC, o Rudá também comemorou o bicampeonato, com a mesma tripulação de 2013. “Conhecemos o barco, um First 40, na Volta de Antígua, onde corremos no veleiro de dois amigos portorriquenhos. Gostamos e há dois anos compramos um barco igual na Bahia”, informou o comandante Mario Martinez.

O Azulão foi o primeiro colocado na classe RGS C e Geral. A união entre pai, mãe e filho contribuiu para que a tripulação trabalhasse em harmonia. “Velejamos juntos há dez anos na Represa de Guarapiranga e estamos bastante entrosados”, comentou o comandante Marcello Polonio, que leva o barco no leme enquanto a esposa Lígia cuida das velas balão e genoa e o filho Lucca, tripulante mirim, faz as tarefas de proa.

O Orson foi campeão na classe ORC 600, somando-se as participações no Circuito Punta del Este, em janeiro, e na Ilhabela Sailing Week, segunda e última etapa do Sul-americano de 2014. O Seu Tatá, do Rio de Janeiro ganhou na ORC 500.

Veja o campeões:

S40 – 6 regatas, 1 descarte
1.- Pajero (Sérgio Rocha) – 7 pp (2+[3]+1+1+1+2)
2.- Carioca (Roberto Martins) – 9 pp (1+[4]+3+2+2+1)
3.- Crioula 29 (Samuel Albrecht) – 13 pp ([3]+2+2+3+3+3)

C30 – 6 regatas, 1 descarte
1.- Zeus (Inacio Vandresen) – 8 pp ([3]+1+2+2+1+2)
2.- Relaxa Next Caixa (Roberto Mangabeira) – 16 pp (2+[7]+1+1+5+7)
3.- Caballo Locco (Mauro Dottori) – 16 pp ([5]+2+4+5+2+3)

HPE – 8 regatas, 1 descarte
1.- Ginga (Breno Chvaicer) – 12 pp (1+1_+4+2+2+[9]+1+1)
2.- Atrevido (Fábio Bocciarelli) – 26 pp ([23]+10+3+1+1+2+2+7)
3.- Take Ashauer (Marcos Ashauer) – 30 pp (3+4+6+6+[23]+1+4+6)

ORC A – 6 regatas, 1 descarte
1.- Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad) – 7 pp (2+2+1+1+1+[5])
2.- Angela VI (Peter Siemsen) – 9 pp ([3]+1+2+2+3+1)
3.- Lexus/Chroma (Gustavo Crescenzo) – 11 pp (1+[4]+3+3+2+2)

ORC B – 6 regatas, 1 descarte
1.- Lucky V (Ralph de Vasconcellos Rosa) – 7 pp ([4]+1+1+1+1+[3])
2.- Absoluto (Pedro Prosdócimo Neto) – 14 pp (3+[4]+4+3+2+2)
3.- Santa Fé V (Nélson Ávila Thomé Jr.) – 17 pp (1+2+2+5+7+[10])

ORC C – 6 regatas, 1 descarte
1.- Bravísismo 4 (Ian Muniz)- 5 pp (1+1+1+1+1+[6])
2.- Rocket Power (Luiz Augusto Lopes de Castro) – 12,5 pp (4+3+3+2,5+3+1)
3.- Prozak (Márcio Finamore) – 13,5 pp (3+2+2+2,5+4+ [6])

ORC Geral – 6 regatas, 1 descarte
1.- Seu Tatá – 14 pp (5+6+1+1+1+[19])
2.- Lucky V – 14 pp ([7]+1+3+3+3+4)
3.- Angela VI – 17 pp ([10]+4+2+5+5+1)

IRC – 6 regatas, 1 descarte
1.- Rudá (Guilherme Hernandes) – 5 pp ([1]+1+1+1+1+1)
2.- Mandinga (Jonas Penteado) – 11 pp (2+2+2+2+[3]+3)
3.- Terroso (Carlos Augusto Matos) – 13 pp ([3]+3+3+3+2+2)

RGS A – 6 regatas, 1 descarte
1.- Montecristo (Julio Cechetto) – 18 pp (2+[7]+2+4+2+1)
2.- Quiricomba (Marinha) – 13 pp (8+2+1+1+1+[11])
3.- Fram (Felipe Aidar) – 17 pp (1+3+6+[7]+5+2)

RGS B – 6 regatas, 1 descarte
1.- Total Balance (Sérgio Klepacz)- 5 pp (1+1+[13]+1+1+1)
2.- Bruxo (Luiz Schaefer) – 13 pp (2+2+1+5+3+[6])
3.- Albatroz (Marinha) – 18 (3+6+2+2+5+[13])

RGS C – 6 regatas, 1 descarte
1.- Azulão (Marcelo Polonio) – 7 pp (1+2+2+[4]+1+1)
2.- Xiliki (Renato Bosso)- 11 pp ([5]+3+1+3+2+2)
2.- Garrotilho (Paulo Linhares) – 12 pp (2+1+3+2+[16]+4)

RGS Cruiser – 5 regatas
1.- BL3 (Clauberto Andrade) – 10 pp (1+3+4+1+1)
2.- Thalassa (Maurício Duarte)
3.- Jambock (Marco Aleixo) – 18 pp (3+2+5+2+6)

RGS Geral – 5 regatas
1.- Azulão (Marcelo Polonio) – 31 pp (4+4+14+5+4)
2.- Montecristo (Julio Cechetto) – 37 pp (21+6+6+3+1)
3.- Xiliki (Renato Bosso) – 38 pp (6+3+12++8+9)

Por equipes – 6 regatas, 1 descarte
1.- Escola Naval (Bijupirá/Breklé/Dourado/Quiricomba) – 131 pontos
2.- Iate Clube de Santos (Chroma/Pi/Ciao/Saba) – 158 pontos
3.- Charitas (Lucky V/Santa Fé V/Albatroz/Zeppa) – 173 pontos
4.- Yacht Club de Ilhabela (Orson/Fantasma/Kanibal/Jazz) – 204 pontos

Sul-Americano de Star – 7 regatas c/ 1 descarte
1.- Lars Grael/Samuel Gonçalves – 11 pp (1+1+1+2+5+1+[19])
2.- Bruno Prada/Guilherme Almeida – 18 pp ([4]+3+3+1+4+4+3)
3.- Marcelo Bellotti/Antonio Moreira – 21 pp (2+4+4+[10]+7+2+2)
4.- Fábio Bruggioni/Marcelo Sansone – 21 pp (3+[5]+5+4+2+3+4)
5.- Dino Pascholato/Henry Boening – 22 pp ([7]+2+6+3+1+5+5)

Sul-Americano de ORC 500
1.- Seu Tatá (Paulo César Haddad)
2.- Gaucho (ARG-Carlos Belchor)
3.- Sirtecom (Chi – Walter Astorga)

Sul-Americano de ORC 600
1.- Orson (Carlos Eduardo Souza e Silva)
2.- Lucky V (Ralph de Vasconcellos Rosa)
3.- Brujas (ARG)

 

Foto: Marcos Méndez / SailStation

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.