#Minha Intermarine: para o paraense Michel Viana, sua 54,5 pés vale por uma casa de praia

0
1719

O advogado Michel Viana, de 39 anos, é um verdadeiro apaixonado pela náutica. Desde 2004, quando comprou sua primeira embarcação, a lanchinha Lua, de 17 pés, ele nunca mais tirou a navegação de sua rotina. Foram seis lanchas ao longo desses anos (de 17, 23, 28, 31, 38 e 54,5 pés).

Hoje, nos rios de Belém, no Pará, ele comanda uma Intermarine 54,5, batizada de Gratidão, que vale por uma casa de praia, com suas três cabines espaçosas. Mas já está de olho em uma Intermarine ainda maior, projeto que deve ser concretizado em 2021.

LEIA TAMBÉM

>>Real 40 HT, que será apresentada no Rio Boat Show, vai para a água
>>Sec Boat revela primeiras imagens de seu catamarã de pesca, que será lançado no Rio
>>Teste Schaefer 770: uma agradável combinação de conforto, beleza e desempenho

A novidade é que, quando comprar o novo barco, Michel planeja transferir sua base para a região sudeste, onde pretende curtir a navegação com a família durante oito meses. Seu lugar preferido é Angra dos Reis. Mas ele vai mais longe. “Na verdade, quero navegar pelo Brasil, usando o barco como casa de veraneio”, revela.

Ao lado da esposa, Lorena, e de seus dois filhos, Maria Eduarda e o João Vitor, Michel diz que encontra paz quando está a bordo da Gratidão. “É o único lugar em que consigo me desligar do dia-a-dia corrido em meu escritório de advocacia”, acredita. Por isso, não consegue mais se ver sem um barco para chamar de seu.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones
Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.

Inscreva-se no melhor canal sobre o mundo náutico do Brasil