Instalação

0
4361

A fiação elétrica pode dar um indício tanto da qualidade do projeto inicial como da forma como o barco está sendo usado e a manutenção, sendo feita. Embora não fique visível, a instalação elétrica merece atenção especial de todo dono de barco. Trata-se de um dos itens mais importantes para aumentar a segurança de navegação e diminuir a dor de cabeça com problemas a bordo. Tanto isso é verdade que, quando contratamos um seguro para a embarcação, esse item consta da lista de inspeção obrigatória, senão prioritária. Para prevenir, ou saber agir quando ocorrer algum problema na instalação elétrica, se ligue nas perguntas e respostas abaixo.

A organização dos fios, cabos, conectores e painéis influencia na qualidade da instalação?

Sim, e muito. Aqui, aquela máxima de que “quem vê cara não vê coração” não vale. Se a “cara” for ruim, o “coração” será pior ainda. Uma boa instalação elétrica, com componentes dimensionados corretamente, organizados e identificados, mostra que o fabricante teve um cuidado que não é apenas estético, mas de segurança. Imagine-se diante de uma pane elétrica, em que não é possível saber de onde vem o fio que alimenta uma tomada ou qual disjuntor desligar? As consequências podem ser gravíssimas.

Fios e cabos precisam ser fixados mesmo quando ficam na parte interior do barco?

Sim. Deve-se fixá-los em suportes adequados e, se possível, dentro de conduítes com ventilação, pois ficam sujeitos a uma grande movimentação quando o barco começa a navegar. Se a fixação não for bem feita, pode ocorrer a ruptura interna dos fios pela fadiga do cobre. Além de causar uma pane, o defeito é de difícil localização, uma vez que a ruptura ocorre na parte interna da instalação e a capa plástica do isolante permanece intacta. Outro cuidado importante é evitar que a fiação passe próximo a dutos de exaustão, por locais sujeitos a alagamentos, por dutos de aquecedores e de combustível e por áreas de circulação.

Quais os sinais mais frequentes de problemas na instalação elétrica?

O mais preocupante é o superaquecimento dos componentes. Acima de 50oC já pode ser um sinal que a coisas não vão bem. Para medir, use um termômetro especial, com sensor infravermelho. Nada de pôr a mão, sob o risco de tomar um choque ou sofrer queimadura. Um sinal visual de superaquecimento é a alteração da cor original da parte externa, que exige investigação das causas por parte de um profissional habilitado. Outros sintomas são lâmpadas piscando durante o uso e interruptores que se tenha de acionar várias vezes até conseguir ligá-los.

Ter a documentação do circuito elétrico do barco é necessário?

É fundamental, porque mostra que o fabricante teve o devido cuidado no projeto e montagem da instalação elétrica da embarcação e permite, no futuro, a colocação de um novo equipamento em menos tempo, com menor custo e mais segurança.

Fazer uma instalação elétrica bem organizada custa mais caro?

Sim, quando olhamos apenas para o custo inicial. Afinal, usa-se um número maior de componentes e estes devem ser específicos para uso náutico. Isso aumenta o custo inicial, mas certamente implica em menor gasto com reparos e manutenções futuras, tanto pelo fato de eles ocorrerem com menos frequência como por serem feitos em menor tempo. O mais importante é lembrar que uma boa instalação elétrica significa mais segurança a bordo!

Texto: Nicola Getschko

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.