Ilhabela

0
2600
Foto: Aline Bassi / Balaio

Mais de 30 barcos participaram, neste domingo (26), da 7ª edição do Rallye Náutico YCI – Copa Kia Motors. O Rallye Náutico é uma competição de regularidade, na qual os comandantes colocam à prova os seus conhecimentos de navegação, pois precisam cumprir um roteiro pré-determinado pela organização do evento em tempo igualmente determinado. Apesar da obrigação de cumprirem uma prova com tempo e rota obrigatórios, o intuito do evento é promover a integração náutica e, por esta razão, nenhuma embarcação precisou navegar em condições limites.

Ao contrário, as médias de velocidade entre os “PCs” (ponto de controle), ficou em torno de 15 nós, uma velocidade confortável de navegação. A organização da competição estabeleceu uma rota que, partindo da sede do Yacht Club de Ilhabela, no Canal de São Sebastião chegava à sub-sede do clube no Saco do Sombrio, uma enseada paradisíaca no lado de Ilhabela voltado ao mar aberto.
Nesta rota foram estabelecidas as coordenadas de 25 pontos de controle. Cada embarcação deveria passar pelas coordenadas em um tempo previamente determinado. Para cada segundo que a embarcação passava adiantada, ou atrasada, em relação ao seu tempo, 1 ponto era somado ao tempo ideal da prova. Assim, ganharia quem acumulasse menos pontos, ou a situação ideal, não acumulasse nenhum.

A primeira colocação da prova ficou com a embarcação Dudu Loco, de Luiz Claudio Prado Volpe, que somou apenas 34 pontos, ou seja, ao longo do trajeto, teve uma diferença acumulada de 34 segundos em relação ao seu tempo ideal.
Acumulando 48 pontos, a segunda colocação ficou com a embarcação Shamu, de Alexandre Mantovani, que foi seguida da equipe da Taiberon, de Luis Roberto B.S. Ferreira. Na sequência, ocuparam a quarta e quinta colocações, respectivamente com 104 e 122 pontos, as equipes das lanchas Maracangalha, de Gustavo oliva e Barbarossa, de Frederico Loureiro.

Nesta edição do Rallye Náutico YCI – Copa Ki Motors, os competidores tiveram mais tempo para aproveitar o brunch na Sub-Sede do Saco do Sombrio, uma vez que a competição, em si, terminou na subsede, com a entrega dos GPSs e dos vale-cestas básicas que as equipes doaram à comunidade caiçara que reside no local. Depois da confraternização, já ao final da tarde, todos tomaram o rumo de volta ao YCI para se preparar para a premiação que aconteceu durante a festa de aniversário dos 58 anos do clube.

 

 

Fotos terra e água: Aline Bassi

Fotos aéreas: Eduardo Grigaitis

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.