Hall da Fama

0
4925

Dono de cinco medalhas olímpicas, sendo duas de ouro, uma de prata e duas de bronze, Torben Grael é o primeiro velejador brasileiro a ser indicado para o Hall da Fama, criado em 2007 para comemorar o centenário da Federação Internacional de Vela (ISAF). O anúncio foi feito durante reunião do Comitê Executivo da entidade na Conferência Anual, em Sanya, na China. Além de Torben, foram selecionados os americanos Dennis Conner, Buddy Melges e Harold Vanderbilt (1884-1970), a italiana Alessandra Sensini, o neozelandês Sir Peter Blake (1948-2001) e o ucraniano Valentin Mankin (1938-2014).

“Fiquei muito orgulhoso e lisonjeado. Não é todo dia que um atleta entra para o Hall da Fama do seu esporte. Existem muitos velejadores no Brasil e no mundo que podem receber essa homenagem e que estarão em indicações futuras. Ser incluído logo na segunda indicação é fantástico. Não esperava”, afirmou Torben, atualmente coordenador técnico da Confederação Brasileira de Vela (CBVela).

Ao anunciar o brasileiro como integrante do Hall da Fama, a ISAF ressaltou os grandes resultados do velejador. Torben compõe a pequena lista de atletas a ganhar cinco medalhas olímpicas na vela. Além dele, apenas o compatriota Robert Scheidt e o britânico Sir Ben Ainslie conquistaram a façanha. Em seis participações olímpicas, Torben foi ouro em Atlanta-1996 e Atenas-2004, as duas na classe Star, prata em Los Angeles-1984, na Soling, e bronze em Seul-1988 e Sydney-2000, novamente na Star.

Em Mundiais, Torben é dono de seis títulos. O mais conhecido é o de Star, conquistado em Cleveland, nos Estados Unidos, em 1990, ao lado do eterno parceiro Marcelo Ferreira. Nos Jogos Pan-Americanos, ele foi ouro em Caracas-1983 e bronze em Indianápolis-1987 na classe Soling sempre acompanhado de Daniel Adler e Ronaldo Senfft.

Mas Torben também tem destaque nas classes de oceano. Na Volvo Ocean Race, a famosa regata de volta ao mundo, levou o Brasil ao terceiro lugar na edição 2005-2006 com o barco Brasil 1. Na competição seguinte, em 2008-2009, foi o comandante do veleiro campeão, o sueco Ericsson 4. O brasileiro também foi campeão da Louis Vuitton Cup, em 2000, como tático do barco italiano Luna Rossa.

Em reconhecimento por seus resultados, Torben já havia recebido da ISAF o prêmio de Melhor Velejador do Ano em 2009. A próxima indicação para o Hall da Fama será em 2019.

Foto: Wander Roberto/Inovafoto

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br

Tethys Yachts