Iate de 93 pés marca sétimo lançamento de estaleiro italiano em três meses

0
763
Navetta 30

O Grupo Ferretti lançou, no último dia 24, a segunda unidade do Navetta 30, da sua marca Custom Line. A divulgação aconteceu no estaleiro Ancona, na Itália. O lançamento marca o sétimo iate Custom Line lançado no estaleiro Ancona, nos últimos três meses.

Essa embarcação é fruto da colaboração entre o Comitê de Estratégia de Produto, liderado por Piero Ferrari, e o Departamento de Engenharia do Grupo Ferretti.

Navetta 30

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

O iate, de 28,43 metros (93 pés), foi totalmente projetado em solo italiano. A arquitetura naval ficou sob responsabilidade de Antonio Cittero Patricia Viel e o design externo, por sua vez, foi elaborado por Fillippo Salvetti. Por fim, o design interno, personalizado pelo proprietário, ficou sob os cuidados da Custom Line Atelier.

Uma embarcação com mais de 2 metros de pé-direito, o Navetta 30 pode acomodar até 10 pessoas em 5 camarotes de hóspedes. A tripulação é constituída por cinco pessoas.

Navetta 30

Com três conveses, o barco também proporciona vista panorâmica em todos os níveis. Os interiores foram projetados para complementarem-se às linhas do casco. Assim, foram implementadas engenhosas soluções de acomodação, permitindo que o interior e o exterior sejam experimentados como layouts confluentes a partir de um design bem estruturado.

Leia também

» Azimut Yachts apresenta nova lancha de 53 pés com flybrigde. Veja as fotos

» Iate italiano promete unir design inovador e tecnologia em um só modelo. Confira

» Designer egípcia anuncia projeto de restaurante flutuante no Rio Nilo

Tudo foi projetado para maximizar o espaço útil. O estúdio explica que a intenção na decoração era proporcionar uma sensação esportiva-chique, com a elegância harmoniosa de um grande clássico.

Para isso, os idealizadores abusaram das linhas curvas nas molduras das janelas e do uso de teca. Mas não fica por aí: o intuito era proporcionar toda essa sensação, mas aliada a um toque contemporâneo inovador.

Pensando nesse equilíbrio, o outro lado da moeda na decoração era oferecer uma abordagem nova e moderna dos arquétipos náuticos tradicionais. Portanto, a estética também tornou-se dinâmica, com novos detalhes em carbono, lacados sofisticados, tecidos listrados em ultramar e texturas customizadas com tintas em pó de quartzo sobre fibra de vidro.

A propulsão do modelo ficou por conta de um motor MAN, de 800 hp.

Por Naíza Ximenes, sob supervisão da jornalista Maristella Pereira.

Gostou desse artigo? Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações para ser avisado sobre novos vídeos.

Teste Intermarine 62 YT - 19/06/2020