Grupo italiano Ferretti divulga aumento de receita e se pronuncia sobre COVID-19

0
330
Foto: Divulgação

A Ferretti anunciou um aumento de 6,5% nas receitas, para € 649,3 milhões no ano encerrado em 31 de dezembro, com o valor da produção subindo também 4,4%, para € 698,4 milhões, acima dos € 669 milhões do ano anterior.

Uma declaração da empresa afirma que o aumento das receitas se reduz principalmente aos maiores volumes alcançados graças à renovação contínua de sua linha de produtos Ferretti nas principais marcas.

Do ponto de vista geográfico, a Europa e o Oriente Médio continuam sendo as regiões mais fortes do Grupo. Em 2019, a região EMEA (Europa, Oriente Médio e África) respondeu por 56% das receitas (52% em 2018), a região AMAS (Américas) por 35% (31% em 2018) e a região APAC (Ásia-Pacífico) por 9% (17% em 2018).

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado atingiu 62,2 milhões de euros, aumento de 16,3% em 2018, com margens de 8,8% para 9,6%. “Esse aumento é devido principalmente a melhorias na eficiência da produção, graças a uma abordagem organizacional que combina habilidade artesanal com procedimentos industriais, garantindo que as economias de escala sejam aproveitadas nas diferentes áreas funcionais”, dizia o relatório.

O lucro líquido foi de € 26,6 milhões, em comparação com os € 30,7 milhões registrados em 2018, devido, segundo o relatório, ao aumento da ponderação da amortização, após os consideráveis ​​investimentos feitos tanto no desenvolvimento da linha de produtos quanto na extensão de alguns locais de produção.

A dívida líquida em 31 de dezembro de 2019 era de € 80,0 milhões, abaixo dos € 264,9 em 31 de dezembro de 2018. A melhoria ocorreu devido a um aumento de capital de acionistas de € 252,0 milhões.

O caixa e equivalentes de caixa eram de 39,2 milhões em 31 de dezembro de 2019, além das linhas de crédito disponíveis para mais de 100,0 milhões de euros decorrentes do empréstimo conjunto assinado em setembro de 2019.

LEIA TAMBÉM
>> Seaview: o iate que será construído pela MCP Yachts com a holandesa Vripack
>> Intermarine prepara dicas de como cuidar dos barcos durante a COVID-19
>> Teste Ventura V195 Crossover: a evolução de uma das lanchas mais vendidas do Brasil

O patrimônio líquido consolidado chega a € 499,4 milhões em 31 de dezembro de 2019, fortalecendo-se contra € 178,0 milhões do ano passado.

Os investimentos realizados em 2019 chegam a € 70,0 milhões: o lançamento contínuo de novos modelos é a base do crescimento e já hoje 90% da receita vem da venda de modelos lançados nos últimos quatro anos. Somente em 2019, 7 novos modelos das principais marcas do grupo foram lançados no mercado.

A entrada de pedidos em 2019 foi de € 691,0 milhões, um aumento de 20,4% em relação a 2018, graças ao desenvolvimento e lançamento contínuos de novos modelos e aos primeiros sucessos da Divisão de Segurança Ferretti.

O relatório financeiro incluiu a seguinte declaração sobre a pandemia de Covid-19: “Em total conformidade com as disposições da lei para limitar a disseminação do Coronavírus Covid-19, o Grupo Ferretti manteve os locais abertos. Em cada um deles, procedimentos rígidos de higiene e segurança no local de trabalho foram implementados para proteger a saúde de funcionários e colaboradores. O Grupo Ferretti também estipulou contratos de seguro suplementares vinculados à patologia causada pelo Covid-19, que fortalecem a cobertura para todos os funcionários.

O Grupo Ferretti fez doações relevantes para todos os hospitais nos territórios de cada estaleiro e lançou uma campanha de arrecadação de fundos – ‘Uma onda de carinho’ – para ajudar os esforços incansáveis ​​dos médicos para combater essa emergência”.

“Os excelentes resultados obtidos em 2019 oferecem hoje uma injeção de energia e fé muito bem-vinda, confirmando a solidez do Grupo Ferretti.” Alberto Galassi, CEO do Grupo Ferretti, comentou. “A capitalização recente e o apoio constante oferecido por nossos acionistas nos permitem continuar projetando e produzindo excelentes iates.Também estamos dando nossa contribuição para os hospitais onde estão nossos estaleiros, ficando o máximo possível perto dos territórios onde nossos trabalhadores moram. Estamos prontos para liberar novamente nossa capacidade total assim que esse período terminar, protegendo a saúde de nosso pessoal e continuando a servir nossos clientes em todo o mundo. E esperamos que pensar no mar durante esses tempos possa ajudar a todos a se livrarem das preocupações de um mundo que agora está sofrendo e do nosso país em particular”, finalizou.

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Schaefer770