Confira 4 dicas infalíveis antes de comprar o seu barco inflável

0
697

As embarcações que chamamos de “Bote” ou “Inflável” compõem uma categoria das mais versáteis do mudo náutico, com inúmeras aplicações, tamanhos, tipos e usos, desde militares, comerciais e, claro, esporte e recreio.

Eles são diferenciados, primordialmente por seu tipo, ligado ao nome “inflável”. Isso porque essa denominação passa uma impressão de algo sem rigidez, literalmente uma boia… e não é bem assim.

Inscreva-se no canal de NÁUTICA no YouTube e ATIVE as notificações

Os botes bem pequenos, geralmente usados como pequenos apoios de veleiros e lanchas menores que 30 pés são, muitas vezes, totalmente flexíveis, ou seja, não há casco rígido. Já, como o nome nos traduz, botes de uso mais geral, para pelo menos 4 pessoas ou mais, já possuem casco rígido, geralmente de fibra de vidro, e por isso, chamados de semirrígidos, tendo sua base de flutuação e navegação rígida circundado por “bombonas” ou “tubulões” como são muitas vezes chamadas as câmaras flexíveis que se enchem de ar e aumenta a área da embarcação e ajudam a prevenir batidas nos barcos maiores aos quais dão apoio.

Este tipo de barco, o “inflável” sempre foi popular e aumentou muito de tamanho, passando a ser usado para diversas atividades diferentes e, por sua versatilidade, começou a adquirir cada vez mais adeptos e por isso, a NÁUTICA vem hoje trazer algumas dicas para você se atentar quando for adquirir o seu bote.

Dica 1 – Tecido

É muito importante ficar atento ao tecido que irá ser escolhido. Há, basicamente, dois modelos de tecidos no mercado: o de PVC (conhecido como tecido plástico) e o Hypalon (conhecido como tecido emborrachado). Para quem não sabe, o Hypalon é a superfície de um tecido muito resistente a base de poliéster, neoprene e pigmentado com o próprio Hypalon.

Dito isso, você irá escolher o tecido pensando no preço e durabilidade.

Se o intuito da compra for como um barco de apoio, como as marinas fazem, escolha o Hypalon ele é um tecido superior, porém mais caro.

Agora, se for para escolher um barco inflável para passeio, ou seja, um uso mais eventual e o orçamento for um ponto crítico, aí você pode escolher o PVC (o qual, não deixa de ser um bom tecido, porém menos resistente e com menor durabilidade que o outro já citado).

Dica 2 – Cockpit

O bote inflável pode ter o intuito de transportar pessoas ou até mesmo cargas. Para isso, é importante ter um cockpit amplo, todo aberto, já que o espaço é fundamental.

Mesmo assim, você pode escolher ter um barco e comandá-lo diretamente no motor de popa (modelos menores) ou até mesmo com um comando à distância do motor, localizado geralmente no centro ou mais à proa, permitindo a circulação lateral e ligando a popa à proa de maneira fácil e desimpedida.

Ainda no cockpit, é importante que haja um paiol arejado para receber o tanque de combustível (gasolina ou diesel, já que alguns modelos maiores recebem motorização centro-rabeta e alimentador por óleo diesel) e não haver risco de acumulação de gases oriundos da evaporação de combustível.

LEIA MAIS:

>> Quer andar de jet? Confira 6 dicas essenciais para começar

>> É possível o hélice “derrapar” e o barco não sair do lugar? Sim! Veja como resolver o problema

>> As 7 dúvidas mais frequentes sobre a escolha do cabo adequado para um barco

Dica 3 – Itens importantes

Alguns itens são importantes de verificar na hora de comprar seu barco inflável. Tais como: Remos de emergência; instalação do ralo de escoamento do convés e seu bujão (fechamento); alças de içamento no convés; acesso ao tanque de combustível com possibilidade de inspeção visual (no caso dos modelos com tanques sob o convés com instalação fixa); acompanhamento da bomba e bico adequado para inflar os tubulões; cabos e suas conexões de direção e engate do(s) manete(s) (quando o comando não for diretamente no motor); material de emergência e abandono; e, claro, a documentação para uso e navegação.

Outro item muito bem-vindo, quando o tamanho do bote permitir, é um bom banco, ao menos para o piloto, o que alivia bem que mais tempo vai ficar embarcado e concentrado na pilotagem.

Dica 4 – Segurança

Como se sabe, o barco inflável foi feito exatamente para não afundar, mas não é por isso que não se deve ter atenção no que diz respeito a segurança do bote.

Saiba que quanto mais câmaras isoladas dentro dos tubulões, mais seguro ele será, porque caso haja algum vazamento, dano ou rasgo, este ficará localizado em apenas uma câmara.

É necessário observar se o fabricante oferece capota (precisa ser feita na medida para o barco). Alguns fabricantes oferecem escadas para uma melhor mobilidade. Verifique se há carreta para reboque, algumas já são apropriadas para uso nos barcos podendo ser de encalhe ou rodoviária. Por último, veja se a empresa oferece âncora, com a quantidade exata de corrente e ou cabos necessários. Outro item importantíssimo é verifica as conexões elétricas, se não há fios soltos, mal ajustados, com emendas e outros pontos de atenção, às vezes, por se tratar de um bote, algumas pessoas acham que as instalações não precisam ser caprichadas e isso é um grande erro e pior, um risco.

Não perca nada! Clique aqui para receber notícias do mundo náutico no seu WhatsApp.

 

Tethys Yachts