Desafio do tempo

0
1966

As condições de vento exigiram novamente que a Comissão de Regatas buscasse todas as opções para realizar ao menos uma prova nesta quinta-feira (9). Foram duas horas e meia de espera, recompensadas por uma regata de percurso triangular que se tornou muito técnica diante das dificuldades impostas pela variação do vento, percurso reduzido e correnteza.

Na classe ORC Geral, a vitória no tempo corrigido foi do Itajaí Sailing Team, do Iate Clube de Santa Catarina. “Em regata de percurso a gente tem de cuidar muito da tática e da velocidade do barco. É muito difícil de gerenciar e qualquer erro é fatal. Vamos aguardar as regatas barla-sota (entre boias) que nivelarão mais as disputas”, contou o comandante da equipe de Florianópolis, Marcelo Gusmão.

Na classificação geral da ORC o barco catarinense ocupa a quinta colocação. A liderança é do Seu Tatá (RJ), seguido pela tripulação uruguaia do Cristabella. A situação passou a indicar a possibilidade de um duelo equilibrado na classe C30. O Loyal CA Technologies chegou em segundo, atrás do vencedor +Realizado, resultado que leva o barco de Ilhabela à liderança do Campeonato Brasileiro e da Ilhabela Sailing Week, com dois pontos de vantagem sobre o Caballo Loco em ambas as disputas.

“Fizemos as três boias em primeiro lugar e no final, de contravento, o +Realizado chegou antes do que a gente no vento e venceu a regata. A CR salvou mais um dia com uma bela regata”, relatou o timoneiro do Loyal, Marcelo Massa, atual campeão brasileiro de C30. “Tudo ainda pode acontecer, mas a tendência a partir de agora é de que a briga fique entre nós e o Caballo Loco. Não partiremos para match race, vamos continuar velejando com tranquilidade. Existe respeito na água e amizade fora dos barcos entre as duas tripulações”, assegurou Marcelo.

O dia também foi favorável ao Asbar II, do Yacht Club de Ilhabela (YCI). O veleiro de Sérgio Keplacz venceu a única regata da quinta-feira e assumiu a liderança na classificação geral da RGS. “A regata foi excepcional. Na largada todos foram para o lado da CR e nós optamos pela boia, de vela à direita. Velejamos à frente dos adversários de ponta a ponta”, comemorou o comandante do Asbar II.

O Inaê Transbrasa aproveitou a oportunidade para permanecer entre os primeiros colocados da RGS. O outro barco do YCI é o líder na divisão A e quarto colocado na geral. “Fizemos manobras casco a casco com o Kalymera numa regata de ventos muito rondados. Nosso barco é pesadão e o percurso foi encurtado. Não deu para abrir muito tempo em relação aos adversários”, relatou o tático do Inaê, Gereba Carvalho.

Na estreante classe HPE 30, Renata Bellotti assumiu o leme no lugar do irmão Marcelo, que passou a competir de Star. A velejadora levou o Capatosta à primeira vitória em Ilhabela. “Foi meio na sorte. Os outros dois barcos nos ultrapassaram e achei que tudo estava perdido. Mantivemos a calma, conversamos muito a bordo e conseguimos fazer as regulagens necessárias. A chegada foi estonteante. Vencemos o Tahiti Nui por alguns centímetros”, respirou Renata, aliviada.

Para completar o vitorioso dia em família, Marcelo Bellotti estreou na classe Star com duas vitórias em duas regatas ao lado de Pedro Bolder. A dupla paulista lidera a competição, seguida pelos argentinos Torkel Borgstrom e Juan Pablo, com os campeões sul-americanos Marcelo Fuchs e Ronald Seifert em terceiro lugar. A HPE 25 também correu suas duas primeiras regatas com vitórias de Atrevido, com Fábio Bocciarelli, e Repeteco Take Ashawer, com Marcos Ashawer. Entre os barcos de oceano, pelo segundo dia seguido o Magia Energisa com Lars Grael e família foi o fita azul, primeiro a cruzar a linha de chegada.

Líderes de cada classe até esta quinta-feira

ORC Geral e ORC A – Seu Tatá (Paulo Cesar Haddad.)
ORC B – Santa Fé (Nelson Avila Thomé Jr.)
ORC C To Nessa (Renato Faria)
IRC – Santa Fé (Nelson Avila Thomé Jr.)
C30 – Loyal/CA Technologies (Marcelo Massa)
Brasileiro de C30 – Loyal/CA Technologies (Marcelo Massa)
HPE 30 – Thaiti Nui (Juninho de Jesus)
HPE 25 – Atrevido (Fábio Bocciarelli)
Clássico – Cangrejo (Ricardo Carvalho)
Mini – Jacaré (Pedro Fukui)
RGS Geral – Asbar II (Sérgio Klepacz)
RGS A – Inaê/Transbrasa (Bayard Umbuzeiro Filho)
RGS B BL3 Urca (Pedro Rodrigues)
RGS C De Boot (Robert Van Horn)
RGS Cruiser Boccalupo (Claudio Melaragno)
Bico de Proa A – Viveree (Atanawe Boechat)
Bico de Proa B Cocoon (Luiz Caggiano)
Star – Marcelo Bellotti/Pedro Bolder

Fotos Marcos Méndez/SailStation e Fred Hoffmann

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.