Críticas

0
918

Integrantes da vela irlandesa fizeram duras críticas à raia da Olimpíada de 2016, a Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro (RJ). Segundo os atletas do país europeu, existe um risco significativo para a saúde dos competidores. O medo é enorme que, de acordo com uma publicação local, médicos serão enviados para analisar a condição da água para prevenir algum tipo de problema. A falta de tratamento da água e o lixo evidente foram alertados por vários velejadores do mundo todo, inclusive os brasileiros.

O diretor da federação de vela da Irlanda, James O’Callaghan, que visitou o local no ano passado, ficou perplexo. “Eu estava no Rio com velejadores de 49er ( Ryan Seaton , Matt McGovern e o treinador Ian Barker ). O esgoto é visível e nós identificamos isso como um risco significativo para a saúde de nossos atletas. Vamos pedir para um médico ir conosco pro Brasil durante as regatas-teste de agosto. É uma preocupação para nós. Mesmo se o barco não virar, você está recebendo pulverização por causa de sua velocidade na água. Se você tem um corte pode se infectar”.

Os velejadores, que foram para o Rio de Janeiro para eventos de treinamento, têm relatado árvores inteiras flutuando na baía , pedaços de madeira com pregos salientes, colchões inchados e inúmeros sacos de plástico. Até uma carcaça de cavalo flutuante foi vista.

Na foto abaixo, Martine Grael, uma das integrantes da Equipe Brasileira de Vela, achou uma televisão boiando na Baía de Guanabara.

 

Foto:  Divulgação

 

Curta a revista Náutica no Facebook e fique por dentro de tudo que acontece no mundo náutico.