Confira 14 exercícios para treinar o organismo contra os enjôos

0
8001

A promessa é empolgante: acabar com o maior estraga prazeres dos passeios de barco, de forma simples e natural, sem os efeitos colaterais que os remédios contra enjôos costumam causar. Segundo alguns médicos especialistas no assunto, bastam alguns exercícios para estimular a parte do labirinto que responde pelo equilíbrio e pronto — adeus enjôo! “O organismo se acostuma de tal forma com os movimentos dos exercícios que os enjôos do mar viram apenas mais um deles e, assim, desaparecem para sempre”, garante a otorrinolaringologista Maria Cristina Cury, professora da Universidade de São Paulo, em Ribeirão Preto. A técnica, batizada de “reabilitação vestibular”, consiste em uma série de oito a 12 sessões de exercícios com os olhos, a cabeça e o corpo (como os que reproduzimos abaixo), com movimentos que simulam o balanço do mar. Mas a médica adverte: “Inicialmente, esses exercícios devem ser feitos no consultório de um otoneurologista, para o paciente aprender a fazê-los corretamente em casa depois”.

A terapia faz todo o sentido. O problema de quem enjoa está no labirinto, que é o sensor da nossa cabeça, uma espécie de peça-chave no processo do mal-estar. Uma parte dele é relacionada com o equilíbrio e é responsável por enviar ao cérebro as informações sobre o movimento da cabeça e a velocidade dos movimentos. “Porém, em certas situações, como a bordo de um barco em movimento, os dados sobre o que é visto e o que é sentido tornam-se conflitantes e podem confundir o cérebro”, explica a médica. O resultado dessa confusão de dados é o enjôo. A reabilitação vestibular promete pôr o labirinto no eixo rapidamente. Detalhe: NÁUTICA testou essa técnica e o resultado foi bem animador. Mesmo que não suprima totalmente o mal-estar, dá um alívio e tanto aos enjoados. Confira:

1- Com a cabeça fixa, movimente seguidamente, por dez vezes, os olhos para a direita e a esquerda. Depois, repita o exercício erguendo os olhos para cima e para baixo.

2- Com um dos braços estendido para a frente, aproxime e afaste o dedo indicador do nariz, acompanhando o movimento com os olhos. Faça isso até que sinta um ligeiro desconforto, ou seja, quando seu braço começar a perder força e coordenação.

3- Com um dos braços estendidos para a frente, acompanhe com os olhos e a cabeça fixa o dedo indicador (dobrado em 90 graus, para cima), em um movimento que descreva um grande círculo, nos sentidos horário e anti-horário.

4- Movimente a cabeça alternadamente para a direita e para a esquerda, para cima e para baixo. Faça isso o mais rápido que conseguir.

5- Dando uma de malabarista, jogue uma pequena bola de uma mão para a outra, fazendo-a passar por cima da cabeça. O mais importante é acompanhar os movimentos da bola com os olhos.

6- Sentado, jogue uma bolinha para cima, pegando-a com a mesma mão. Acompanhe o movimento com os olhos. Faça isso 20 vezes. Depois repita o processo, só que, agora, em pé.

7- Novamente de pé, jogue a bolinha na parede e pegue a de volta, sem desgrudar os olhos dela.

8- Sente-se em uma cadeira e coloque seis objetos no chão, de seu lado esquerdo, formando um semicírculo. Depois, abaixe, pegue um objeto com a mão esquerda, levante e passe-o para a mão direita. Depois, repita o processo com o outro lado.

9- Este é o exercício mais simples, porém, o mais cansativo. Sem pressa, sente e levante de uma cadeira por dez vezes seguidas.

10- Fique descalço e ande em linha reta, tomando o cuidado de manter a cabeça erguida e olhando sempre para  a frente, como uma modelo na passarela. Faça isso entre três e cinco minutos.

11- Em seguida, sem parar, ande por mais alguns minutos em linha reta, olhando para os lados, alternadamente para a direita e a esquerda.

12- Continue andando em linha reta, só que agora olhando para cima e para baixo, alternadamente.

13- De pé, levante um dos joelhos e passe uma bolinha por baixo da coxa. Repita o movimento, com o lado oposto.

14- Suba e desça os degraus de uma escada. Depois, faça a mesma coisa com os olhos, porém, tomando o cuidado de incumbir alguém de lhe observar, para não cair.

Foto: Fotolia