Clube dos Jangadeiros recebe cerca 120 atletas para o 69º Campeonato Brasileiro de Snipe

0
2878
Foto: Matias Capizzano

O Clube dos Jangadeiros recebe em sua sede na Zona Sul de Porto Alegre, o 69º Campeonato Brasileiro da classe Snipe, um dos principais eventos da agenda nacional da vela, reunindo cerca de 120 velejadores de todo o país. Nesta segunda-feira (22), às 15h, acontece a Regata e a Cerimônia de Abertura e na terça-feira (23) começam para valer as regatas que contam pontos. O campeonato segue até o sábado (27), mesmo dia da premiação, às 18h, nas categorias Geral (1º ao 10º Lugar), Júnior (1º ao 5º lugar), Master (1º ao 5º Lugar), Misto (1º ao 2º lugar) e Feminino (1º ao 2º Lugar).

A dupla Alexandre Paradeda, o Xandi, e Lucas Mazim, o ‘Sorriso’, atuais campeões brasileiros da classe, estão participando da competição, sediada pelo Clube dos Jangadeiros pela sétima vez – a última foi em 2011. Onze vezes campeão Brasileiro, Xandi não esconde a alegria de competir em casa. “Voltar a correr um brasileiro no Janga traz sempre uma expectativa muito grande. A flotilha do Clube cresceu muito nos últimos anos. Ganhamos três dos últimos quatro brasileiros. Por ser em casa motiva todos a fazerem um grande campeonato”, diz.

Paulo Santos é outro dos nomes importantes que irão competir no Janga. O angolano de 74 anos já foi bi-campeão Europeu, duas vezes medalhista de bronze em Mundial e ainda campeão brasileiro em cinco anos. O experiente velejador destaca a dificuldade e a importância da classe Snipe no contexto da vela. “O Snipe é a classe que mais me apaixona, não só pela dificuldade. É uma classe muito difícil pelo preparo físico, e que exige muita técnica. Por isso, eu a escolhi nestes últimos anos de carreira, por exigir muito de mim e ser extremamente competitiva. É um barco antigo, que requer muita dedicação, muito treino, muitas horas em cima de prática. O Brasil é referência, um dos maiores vencedores do Snipe. Além disso, é uma classe que cria grandes e novos velejadores, o Robert Scheidt começou no Snipe, Torben Grael a mesma coisa”, comentou.

Entre as mulheres, a jovem Juliana Duque, de apenas 22 anos, se destaca. A velejadora foi campeã Mundial Feminino da Classe Snipe em 2016, em torneio realizado na Itália. A competição ocorre diariamente na sede dos Jangadeiros, com regatas começando às 14h de terça a sexta. No sábado (27) serão realizadas as premiações e as últimas provas, com os barcos entrando na água às 13h.

Além de levantar a taça de campeão nacional em Ilhabela, em 2017,  o Clube dos Jangadeiros conquistou o Mundial Júnior da classe na Espanha com a dupla Tiago Brito e Antonio Rosa e no Estadual do Snipe Fevers 2017 dominou o pódio com Gabriel Kieling e Átila Pellin como campeões.

Como registro histórico, vale mencionar que o Campeonato Mundial de Snipe de 1959, realizado no Jangadeiros, marcou o mundo esportivo na época, pois foi o primeiro realizado fora dos Estados Unidos e da Europa, reunindo tripulações de 16 países na capital gaúcha.

O Snipe é um barco de 4,72 metros para duas pessoas. Uma das classes mais antigas da Federação Internacional de Vela, desenhado por William Crosby em 1931. É uma das classes que mais têm flotilhas espalhadas pelo mundo.

 

Teste New Sessa C44