Centro Sul-americano

0
2967

Porto Alegre recebe nesta segunda-feira (19) uma grande competição de vela reunindo Brasil, Argentina, Bermudas, Chile, Equador, Guatemala, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela nas águas do Guaíba. É o Campeonato Centro Sul-Americano de Laser, classe olímpica da vela que contará com a participação de cerca de 150 atletas das Américas do Sul, Central e do Caribe. O campeonato é dividido em duas etapas: na primeira é realizado o Centro Sul-Americano de Laser Radial e na segunda é a vez do Laser Standard e Laser 4.7.

Do dia 19 a 23 de outubro ocorrem as disputas da classe olímpica Laser Radial com a participação de com 78 atletas no total. Nos Jogos, o Laser Radial é exclusivamente feminino e a vaga brasileira é de Fernanda Decnop, velejadora medalhista de bronze nos Jogos Pan-americanos de Toronto e campeã sul-americana da classe em 2014, que também estará competindo do Centro Sul-americano de Laser.

“Campeonatos internacionais como este são os melhores treinos que um atleta pode ter para as Olimpíadas, pois o nível é alto e a flotilha é grande, o que faz com que tenhamos uma dificuldade extra e um maior número de variáveis. Estou ansiosa para voltar a velejar na raia de Porto Alegre”, disse Fernanda que também se prepara para o Mundial da Classe Laser Radial Feminino. A atleta fluminense criou uma campanha de financiamento coletivo com o intuito de arrecadar fundos para a competição, marcada para novembro em Omã.

“Apesar de já classificada para os Jogos Olímpicos de 2016 conto com pouco apoio. Em Omã estarão presentes todas as minhas adversárias nos Jogos, é mais uma boa oportunidade para me preparar”, relatou a atleta.

Enquanto Fernanda começa a sua caminhada olímpica, ciclos também se encerram para outros atletas, a exemplo da velejadora olímpica Adriana Kostiw. Ela defendeu o país na Radial nos Jogos de Londres e vem a Porto Alegre encerrar a sua trajetória disputando sua última competição de classes olímpicas oficial da carreira.

“Escolhi terminar a carreira olímpica no Veleiros do Sul, pois foi onde comecei em 1998, para fazer campanha com Martha Rocha para Sidney 2000. Também treinei no Veleiros do Sul para o Pan 2007 e para as Olimpíadas de Londres 2012, passando pelo menos uma temporada por ano ali. É um lugar que inspira a velejar, com a presença de muitos velejadores de destaque no cenário mundial, basta ver quantos olímpicos saem daí”, elogiou a velejadora.

Após o Radial, de 26 a 30 é a vez do Centro Sul-Americano Laser Standard (classe olímpica masculina) e do Laser 4.7, para os velejadores mais jovens da classe Laser.

Assine a revista NÁUTICA: www.shoppingnautica.com.br