Bolsonaro assina programa de incentivo à navegação de cabotagem no país

0
1621

Siga nosso TWITTER e veja a série Dicas Náuticas diariamente: @revista_nautica

Mais uma grande conquista para o setor náutico brasileiro, no qual o Grupo Náutica e a Acobar (Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos), em conjunto com o Governo Federal, têm realizado ações para aprimorar a infraestrutura náutica do Brasil.

O governo entregou nesta terça-feira, 11, para o Congresso Nacional, em caráter de urgência, o projeto de lei (PL) nomeado de BR do Mar, que estimula a cabotagem – tráfego marítimo entre portos da mesma costa de um país. O texto do PL é fruto de debate entre várias pastas, e deve estimular o transporte de mercadorias internamente e aumentar a competitividade industrial do país.

De acordo com Tarcisio de Freitas, ministro da Infraestrutura, a meta é aumentar a marca de 1,2 milhão de contêineres transportados anualmente para 2 milhões, além de elevar a oferta de embarcações em 40%, nos próximos três anos. “É um projeto que, no final das contas, tende a deixar a cabotagem mais barata. A gente tem um objetivo que é aumentar a oferta de embarcações”, disse.

Leia Mais
>>
Volvo Penta é escolhida para impulsionar embarcações de transporte hidroviário
>> Triton Yachts dá 7 dicas para ajudar na escolha do primeiro barco. Confira
>> BR Marinas inaugura nova unidade para barcos de até 150 pés em Paraty

Paulo Guedes também participou da assinatura do documento ao lado de Jair Bolsonaro e Tarcísio de Freitas. “Vamos derrubar o custo de transporte no Brasil inteiro. Hoje, o minério vira aço no sul, e chega ao nordeste 40% mais caro do que se tivesse ido para a China e voltado. Isso pelo custo no transporte”, afirmou o ministro da Economia nas redes sociais.

O projeto usa quatro eixos fundamentais para incentivar a cabotagem: frota, indústria naval, custos e portos. Em relação às frotas, o programa estimula as empresas já existentes e dá mais autonomia a elas, além de desburocratizar o registro e o tráfego de embarcações. Para a indústria naval, o governo pretende estimular a docagem de embarcações internacionais no Brasil, o que aumentará o conhecimento em manutenção e a comercialização de peças e maquinário para navios, estimulando a escalonagem da indústria brasileira.

As ações sobre os custos incidirão sobre os trâmites burocráticos da cabotagem. Taxas e regulamentações devem ser diminuídas e aceleradas. Para o eixo relacionado aos portos, está prevista a agilização da entrada em operação de terminais dedicados à cabotagem. Empresas que não possuem operações em determinados portos também terão vantagens, afirma a nota técnica. A modernização que já vinha sendo feiita em portos brasileiros também faz parte do projeto BR do Mar.

 

Gostou desse artigo? Clique aqui para assinar o nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp e receba mais conteúdos.

Schaefer Yachts