Boeing 747 afunda para virar ponto de mergulho no Bahrein

0
1531

O Bahrein espera inaugurar em agosto o maior parque subaquático do mundo, com mais de 100 mil metros quadrados e tendo como estrela principal um Boeing 747. Os idealizadores do projeto afundaram um Jumbo que servirá como recife artificial e ponto de mergulho.

Com 70 metros de comprimento, o avião teve suas portas removidas e na parte superior da fuselagem duas novas entradas foram construídas, visando permitir a entrada de luz e servindo como opção de acesso a mergulhadores.

Localizado em em Diyar al Muharraq, uma cidade composta de ilhas artificiais, o projeto Dive Bahrain, prevê a construção de um grande parque subaquático, com esculturas e pontos de mergulho especiais, incluindo o 747. O projeto foi conduzido em parceria entre as autoridades do Bahrein e o setor privado.

As autoridades acreditam que o parque possui potencial de atrair milhares de mergulhadores todos os anos, em especial pelas condições favoráveis ao mergulho na região. “Estamos orgulhosos de lançar este projeto ecológico exclusivo em parceria com as empresas de mergulho locais, o Supremo Conselho do Meio Ambiente e o setor privado”, disse Zayed bin Rashid Al Zayani, ministro da Indústria, Comércio e Turismo e presidente do conselho da Bahrain Tourism and Exhibitions Authority.

As autoridades transportaram o 747 até o local de “naufrágio” ancorado em boias especiais. No leito marinho a aeronave será posicionada de forma a permitir o mergulho em 360 graus, além de manter uma boa fonte de iluminação natural interna.

LEIA TAMBÉM
>>Rio Pinheiros recebe barcos para retirada de lixo flutuante
>>Concessionária náutica inaugura nova loja no interior de São Paulo
>>São Paulo Boat Show 2019 contará com pisos náuticos da Kapazi

De acordo com os responsáveis pelo projeto, o processo de preparação do 747 incluiu um cuidado especial com questões ambientais, com atenção nas necessidades de promover o crescimento da vida marinha local. A aeronave teve todos seus sistemas hidráulicos, de combustível e elétricos removidos, com a drenagem de todos os fluídos e a remoção de plásticos, borrachas e vernizes prejudiciais ao meio ambiente. “Esta iniciativa também visa revitalizar o ecossistema marinho do Reino e preservar o ambiente marinho local”, destacou Al Zayani.

O local ainda incluirá várias estruturas além da aeronave, como uma réplica de uma tradicional casa de um comerciante de pérolas do Bahrein, recifes de corais artificiais e outras esculturas submersas.

Ainda que seja um dos maiores projetos do tipo no mundo, o Dive Bahrain ideia não é inédito, tendo similares ao redor do mundo. Nos Estados Unidos, um Boeing 727 está submerso no parque Mermet Springs, em Illinois. Além de um parque construído apenas com veículos militares de combate. Recentemente a Turquia também criou um parque similar, utilizando um Airbus.

O 747-200 utilizado no parque subaquático foi construído originalmente para a British Airways, onde recebeu a matrícula G-BDXN, mas não foi entregue a empresa britânica, sendo imediatamente repassado para Malaysian Airlines System, sendo registrado como 9M-MHJ, onde vou no transporte de passageiros por 23 anos, até ser convertido para cargueiro, em 1997 e repassado para a MASKargo.

O avião encerrou sua longa carreira na Malásia em 2005, sendo revendido para a norte-americana Focus Air, uma operadora de carga de wet lease que deixou de operar três anos depois. O avião foi repassado para a Air Atlanta Icelandic, onde recebeu o seu último registro, TF-AAA. Em um contrato de leasing a aeronave retornou justamente a MASKarg, onde voou até 2013 quando foi finalmente aposentado e armazenamento em Fujairah.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A edição deste mês já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones