Barco turístico Belle Amazon volta a navegar nos rios amazônicos após reforma

0
1264
Foto: Divulgação

Após uma ampla reforma num estaleiro em Alter do Chão – distrito situado a 37 quilômetros de Santarém, no Pará – e testes no rio Tapajós, o charmoso barco turístico Belle Amazon está pronto para navegar pelos rios amazônicos. Com destaque pelo amplo espaço e serviços a bordo, pela culinária e pelas atividades em terra, a exclusiva embarcação tem capacidade para transportar 18 passageiros. O Belle Amazon integra o grupo da Cap Amazon Tropical Marketing, agência de marketing e comunicação, e é operado pela agência de viagens Turismo Consciente – esta última com sede em Alter do Chão.

Originalmente chamado de Capitão Oliveira quando estreou no rio Negro, em Manaus no início da década de 1990, o Belle Amazon necessita de manutenção a cada período de quatro ou cinco anos por ser construído 100% de madeira de lei. No total, a embarcação ficou quatro meses parada no estaleiro. Os motores e tanques de combustível foram revisados e a pintura renovada. Em relação à madeira do casco, que é dupla para dar mais segurança, boa parte foi trocada. A espécie utilizada, itaúba (Mezilaurus itauba), é bastante resistente e natural da região amazônica. A decoração utiliza artesanato original das comunidades amazônicas.

 

Como novidade tecnológica foi instalado um telefone via satélite, para ligações de emergência. Item que faz toda a diferença, pois a rede de celular nem sempre funciona – sobretudo nas área mais isoladas. “A reforma visa a segurança da embarcação e o conforto dos passageiros e da tripulação, respeitando sempre o design e a história do barco”, conta o administrador da Cap Amazon, Jean-Philippe Pérol. “Meios flutuantes de madeira são mais gostosos e autênticos e refletem a região amazônica bem mais que os de alumínio”, completa ele.

Em relação ao conforto da tripulação, vale destacar que o Belle Amazon é um dos raros barcos de turismo na região do rio Tapajós que oferece cabines com camas e ar condicionado e banheiros de uso exclusivo. “Zelamos pelo bem-estar de todos, um elemento essencial para chegar à qualidade de serviço e de relacionamento que queremos oferecer”, reforça Pérol.

No comando da embarcação está o capitão Alan Gilberto Barros Maia, o “Gil”, de 44 anos de idade e mais de 25 anos à frente do timão de navios na Amazônia. Com ponto de partida de Alter do Chão, o Belle Amazon percorre roteiros regulares e sob medida (fretamentos) pelos rios da maior floresta tropical do mundo.

Os administradores do barco têm uma visão muito participativa do que é fazer turismo na Amazônia. “Nossos roteiros valorizam o lado cultural, histórico e social das comunidades indígenas, caboclas e quilombolas – juntas, elas são um dos maiores acervos do turismo na região”, destaca Jean-Philippe Pérol.

A proposta das duas empresas para o passageiro do Belle Amazon é que ele faça um intercâmbio de forma respeitosa com a floresta, os rios e as populações. “Sempre nas nossas atividades, o turista vê a realidade autêntica e sob múltiplos ângulos e não como uma fakelândia”, compara Pérol. Tudo isto demanda conhecimento, conversa e muito respeito junto às comunidades. “A gente faz o contato, pergunta se eles querem receber turistas e, com o sim, aí discutimos juntos as atividades”, explica a gerente de Operações da Turismo Consciente, Keissiane Maduro, a “Keissi”. Ela tem 34 anos e nasceu em Alter do Chão.

Keissi sabe quão importante e crucial este diálogo é necessário para uma parceria ganha-ganha. Indígena, ela faz parte da etnia borarí, originária da região do rio Tapajós. “Não é só a paisagem e as águas, há pessoas também e todos estão integrados”, enfatiza Keissi, que trabalha no turismo desde sua graduação em administração de empresas. A gerente integra a tripulação do Belle Amazon há mais de dois anos e faz parte do Coletivo de Mulheres Indígenas Suraras do Tapajós – “surara” no idioma nhengatu significa “guerreiro/a”.

Navegar no Belle Amazon é uma experiência exclusiva tanto a bordo quanto em terra. Na embarcação, o luxo se traduz não em grifes mas em itens como: o conforto do ar condicionado, fundamental com as altas temperaturas da região o ano todo; a variedade e o sabor da refeições, que sempre aposta no terroir amazônico; e o amplo espaço.

Ao contrário da maioria dos barcos de turismo do mesmo tamanho na região, o Belle Amazon tem uma grande vantagem: o amplo espaço das áreas públicas. No segundo convés a sala de refeições comporta 18 pessoas; no terceiro, há uma ampla sala de estar, com bar, e uma área externa; e, no quarto e último, um espaço totalmente aberto voltado ao banho de sol, com espreguiçadeiras, e à observação 360 graus a qualquer hora do dia ou da noite. Em relação à alimentação, o Belle Amazon vai além da pensão completa (café da manhã, almoço e jantar). Quando há trilhas ou passeios longos é providenciado um lanche e, sempre à tarde, petiscos são servidos junto com água, refrigerantes, sucos, caipirinhas de cachaça e cervejas. Vale lembrar que todas as refeições e bebidas estão incluídas na tarifa.

A responsável pela gastronomia é a experiente cozinheira Lilian Lobato, a “Leila”, de 50 anos. Nascida em Alter do Chão, ela trabalha há cerca de 20 anos nos barcos amazônicos. “Procuro fazer a comida típica do Pará, que muitos passageiros não conhecem como, por exemplo, o pato no tucupi, o tacacá e o arroz paraense (cozido no tucupi, com camarão, jambu e castanha do pará)”, conta ela. O carro-chefe da cozinha é formado pelos peixes dos rios da Amazônia, como pirarucu, surubim, tambaqui, tucunaré, filhote e dourado. “Mas sempre preparo uma segunda opção de carne bovina ou frango”, pondera Leila. “Tudo sempre fresquinho.” “Antes do embarque, porém, solicitamos aos passageiros que preencham uma ficha com suas restrições alimentares para evitarmos desconfortos durante a viagem”, destaca Keissi.

A comida de Leila também pode ser degustada fora do barco. Dependo das condições climáticas, há a possibilidade de uma refeição ser servida numa praia fluvial. E não só a comida, mas toda uma produção é montada para uma experiência realmente inesquecível do passageiro – como a colocação de esteiras com travesseiros e velas. Este é o outro ponto do luxo do Belle Amazon: a exclusividade. Jantar numa praia de rio, à luz do luar, com cardápio local e toda a assistência de uma tripulação super atenciosa e preparada é, de fato, uma experiência luxuosa. E como respeito à natureza, logo após o jantar, a tripulação deixa a praia limpa igual como a encontrou.

A próxima saída regular do Belle Amazon está marcada para os dias 19 a 22 de dezembro de 2019, com saída de Alter do Chão. Neste roteiro o barco navega pelos rios Tapajós e Arapiuns. Entre outras atividades, sempre vivenciando de forma verdadeira um pouco do cotidiano da maior floresta do planeta, há visitas a comunidades indígenas e ribeirinhas e banhos de rio em lugares de tirar o fôlego.

O pacote inclui traslados terrestres (Aeroporto de Santarém/Alter do Chão/Aeroporto de Santarém); quatro diárias de hospedagem em cabines suítes com ar condicionado; pensão completa durante navegação (café da manhã, almoço, lanche e jantar); bebidas (água mineral, sucos, refrigerantes, cervejas e caipirinhas); passeios e taxas comunitárias de visitação; anfitrião a bordo; e kit de amenities biodegradáveis. O pacote não inclui passagens aéreas e itens não especificados acima. Os valores por pessoa são R$ 7 150, na cabine single; R$ 4 760, na cabine dupla; e R$ 3 560, terceiro passageiro.

FICHA TÉCNICA DO BELLE AMAZON
Comprimento: 32 metros
Largura: 7,17 metros
Motor: 2 Scania, de 477 HP cada
Velocidade: 14 milhas/h – equivalente a 22,5 km/h
Capacidade: 18 passageiros
Cabines: 9, sendo 8 suítes standard com 1 cama de viúva (1,92 m x 1,11 m) e 1 cama de solteiro (1,87 m x 0,80 m) em estilo beliche e 1 suíte principal com cama de casal queen size e vista panorâmica – todas possuem ar condicionado e banheiro privativo
Lanchas: 2 motorizadas de 70 HP cada
Botes: 2 motorizados de 30 HP cada

DESCRIÇÃO DOS CONVESES
Primeiro convés: casa de máquinas, lavanderia, dispensa para armazenamento de mantimentos e provisões, 5 cabines climatizadas e 3 banheiros para atender a tripulação do barco

Segundo convés: cozinha, sala de jantar climatizada para até 18 passageiros, 4 cabines suítes standards para duas pessoas cada e 1 cabine suíte principal com vista privilegiada na frente do barco

Terceiro convés: sala de estar, bar, 4 cabines suítes standards e sala de comando equipada com moderno sistema de navegação

Quarto convés: área de observação a céu aberto para visualização panorâmica e banho de sol, com espreguiçadeiras

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.