Barco maior é mais seguro?

0
1506

Siga nosso TWITTER e veja a série Dicas Náuticas diariamente.

Não há dono de barco que não sonhe com uma embarcação melhor. E, quase sempre, esse “melhor” significa um modelo maior, já que cascos grandes são teoricamente mais confortáveis e seguros que os pequenos. Mas isso não chega a ser uma verdade absoluta, que sirva para todos os casos. A rigor, pode-se dizer que, sim, um barco maior tende a ter comportamento melhor em águas mais agitadas.

Se compararmos dois barcos de dimensões diferentes, mas concepção de casco idêntica, o modelo maior, com certeza, levará vantagem sobre o menor — seja na navegação ou na segurança dos ocupantes. Poderá enfrentar ondas maiores e navegará com mais velocidade. Mas se os projetos forem diferentes, será preciso analisar caso a caso para estabelecer a vantagem de um ou de outro. Ou seja: se a concepção não for a mesma e um barco for menor apenas no comprimento, talvez a diferença não seja tão grande assim a favor do maior.

É perfeitamente possível, por exemplo, um casco grande não ter estrutura para encarar mares abertos, ou então vir com um pontal pequeno, insuficiente para evitar a inundação do convés, ou ainda ter uma boca estreita demais, aumentando o risco de virar quando as ondas castigarem os costados do casco. É o caso das lanchas e canoas de pesca em rios, por exemplo: apesar de compridas, elas têm boca e pontal acanhados e inadequados para o mar. O peso do barco também é importante. Barcos muito leves têm a tendência de sofrer bem mais com a ação das ondas.

Leia também

» Superiate de 196 pés faz aparição na Holanda depois de 7 meses de mistério absoluto

» Superiate serve de cenário para Tenet, filme americano que marcou a retomada dos cinemas

» Black Swan: o superiate concebido para ser vilão de um filme de aventura. Conheça

Há, ainda, outros fatores que devem ser considerados quando o assunto é desempenho no mar aberto. Lanchas de proa aberta, não importa o tamanho, são inadequadas, pois correm o risco até de afundar se receberem um grande volume de água no convés. Já lanchas de pesca de console central, mesmo sendo totalmente “abertas”, são capazes de enfrentar o mar, porque costumam ter proa alta e convés que drena a água que entra. Além do mais, essas lanchas têm casco com V de popa mais acentuado, geralmente acima dos 20 graus, o que amortece os sacolejos e dá estabilidade. Já as lanchas de passeio têm ângulo de V mais ameno, em torno de 17 graus, que pode deixar a navegação em mar aberto bem mais desconfortável e arriscada.

Por último, o número de cascos também é relevante. Catamarãs ou trimarãs geralmente se comportam bem melhor no mar que os monocascos, mesmo quando são menores. Eles até jogam mais nas ondas de través, o que é desconfortável, mas não chega a ser perigoso. Resumindo: se você está pensando em trocar seu barco por um maior, procure antes identificar o que, afinal, não lhe agrada no seu atual.Talvez não seja apenas uma questão de tamanho.

Gostou desse artigo? Clique aqui para se inscrever gratuitamente no nosso serviço de envio de notícias por WhatsApp.

Teste EVOLVE 360 HT – 27/06/2020