Barco a vapor, do Século 19, é encontrado soterrado às margens de rio em Minas Gerais

0
527

Pescadores encontraram uma embarcação soterrada às margens do Rio Grande, em Ribeirão Vermelho (MG). O barco a vapor do século 19, com cerca de 10 metros de comprimento, seria responsável pelo transporte de passageiros e pequenas mercadorias. Uma outra embarcação também apareceu com a baixa da Represa do Funil. Uma lancha, toda feita de madeira, não vai poder ser restaurada.

Os moradores disseram que é comum encontrar embarcações no local, porque ali funcionava o antigo porto da cidade. Quando o rio baixa, é possível ver um pedaço dele, um paredão de pedra, onde os barcos atracavam. Antes de virar uma referência ferroviária, Ribeirão Vermelho teve um intenso movimento de navegações até o fim dos anos 1940. O atual prédio da prefeitura foi a central das operações.

Não foi a primeira vez que os barcos apareceram às margens do Rio Grande. Há mais de 20 anos, uma lancha foi retirada soterrada com a ajuda de moradores. Em 2014, uma lancha do século passado também foi encontrada. Na época, a prefeitura havia prometido a retirada para preservação. Mas a promessa não foi cumprida e a lancha está no mesmo lugar. A prefeitura diz que não houve tempo suficiente para fazer a retirada. A ONG Circuito Ferroviário se interessou pelo barco e se ofereceu para fazer a restauração.

Receba notícias de NÁUTICA no WhatsApp. Inscreva-se!

Quer conferir mais conteúdo de NÁUTICA?
A nova edição já está disponível nas bancas, no nosso app e também na Loja Virtual. Baixe agora!
App Revista Náutica
Loja Virtual
Disponível para tablets e smartphones

Para compartilhar esse conteúdo, por favor use o link da reportagem ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos e vídeos de NÁUTICA estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem nossa autorização (redacao@nautica.com.br). As regras têm como objetivo proteger o investimento que NÁUTICA faz na qualidade de seu jornalismo.